Palace Hotel - Caxambu

sábado, 30 de outubro de 2010

História de Caxambu - Publicação do Livro do Dr. Henrique Monat

PROFESSOR Dr. HENRIQUE ALEXANDRE MONAT

Texto publicado em 14 de Junho de 1955

Centenário do nascimento do ilustre médico brasileiro – Homenagem, hoje, da Sociedade de Medicina e Cirurgia – Dados biográficos

A Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro reúne-se hoje, terça-feira, 14, às 21 horas, em sua sede, á Avenida Mem de Sá, 197, para comemorar o centenário de nascimento do professor Henrique Alexandre Monat, um dos seus fundadores. Em nome da Sociedade, discursará o professor Ugo Pinheiro Guimarães, devendo falar, em nome da família do homenageado, o professor Olympio da Fonseca.
O professor Henrique Alexandre Monat nasceu na Bahia, na cidade do Salvador, a 6 de Junho de 1855 e faleceu a 3 de Fevereiro de 1903, no Rio. Era filho de Henri Honoré Monat, nascido em França, e de Flávia de Borja Castro Monat, originária da Bahia, irmã do ilustre engenheiro, professor e diretor da antiga Escola Central do Rio de Janeiro, conselheiro Borja Castro. Bacharelou-se em Paris, no Liceu Bonaparte, tendo feito todos os estudos naquela cidade, desde a primeira infância. Iniciou os estudos médicos na Bahia, terminando no Rio de Janeiro e sendo-lhe colado grau em 1879 em Salvador, com toda a turma. Faziam parte deste grupo os Drs. Francisco de Castro, Ismael da Rocha, Vicente de Souza, Freitas Henrique e muitos outros portadores de nomes ilustres.
Henrique Alexandre Monat fez onze concursos para a Faculdade de Medicina no Rio de Janeiro, tendo sempre alcançado o primeiro lugar. Nesta Faculdade exerceu o cargo de preparador de Anatomia Descritiva. Fez concurso para a cadeira de Frances do Colégio Pedro II, então Ginásio Nacional, durante o governo Campos Salles. Exerceu a cadeira durante poucos anos, vindo a falecer em 3 de Fevereiro de 1903, aos 47 anos. Foi nomeado para esta cadeira a 10 de Abril de 1900. Foi membro da Academia Nacional de Medicina.
Dentre os trabalhos que publicou, são mais conhecidos do grande público o “ Método Prático de Frances ” , “ Caxambu ” , e “ Estudo Sobre Sinônimos, Parônimos e Antônimos ” . No campo da Medicina, podemos citar as seguintes publicações: “ Das Gangrenas ” , “ Anatomia Patológica ” , “ Histologia dos Epitélios ” , “ Réplica Sobre o Novo Uretrônomo do Dr. Bulhões ” , “ Tratamento Radical da Hidrocele ” ( 1889, Brasil-Médico, pp. 19 e 113 ), “ Tratamento dos Estreitamentos da Uretra ” ( 1890 ), Brasil-Médico, p. 390, “ Cálculo Renal ” , “ Migração pela Massagem ” , “ Litotricia “ ( 1891, Brasil-Médico, p. 78 ), “ Duas Pedras na Bexiga, uma porção prostática da Uretra ” , “ Talha Hipogástrica ”  ( 1891, Brasil-Médico, p. 365 ), “ Cistite – Fístulas Urinárias – Talha – Extirpação das Fístulas ” ( 1892, Brasil-Médico, ano 6, p. 33 ), “ Moléstias das vias urinárias – Cistite Tuberculosa – Cistotomia ”  ( 1892, Brasil-Médico, ano 6, p. 2 ), “ Comunicação à Academia Nacional de Medicina Sobre uma Cura de Talha Hipogástrica e de Nefrectômia ” ( 1892, Brasil-Médico, ano 4, p. 185 ), “ A propósito do projeto da criação de uma cadeira de clínica das moléstias dos órgãos gênito-urinários ” ( 1892, Gazeta Médica da Bahia, ano 29, p. 316 ), “ Da eletrólise nos estreitamentos da uretra ”  ( 1882 / 3, Brasil-Médico, p. 34 ), “ Da eletrólise nos estreitamentos da uretra – Resposta do Dr. Costa Lobo ”.
Em 1886 foi fundador da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, Número coluna XLIV número 1 – julho, 1930, dos Anais Brasileiros de Medicina e Cirurgia, encontra-se todo o histórico de sua fundação.
Foi, durante algum tempo, redator da Revista da Sociedade da Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro. Existe de seu invento um aparelho para operações da uretra, o qual foi largamente usado, inclusive no Hospital Necker, em Paris. Na questão Castro Malta foi convidado para perito pelo jornal “ O País ”, do qual foi assíduo colaborador em questões científicas. A primeira tentativa do estabelecimento entre nós de um serviço de identificação data 1889. Foi o Dr. Henrique Monat quem sugeriu a sua criação, logo no inicio do governo republicano, durante a primeira administração Sampaio Ferraz. Mais tarde, voltou por duas vezes à França, onde fez estudos de aperfeiçoamento.
Casou-se com D. Maria del Carmen Nolle Torre Monat, em Santos. Das filhas do casal, Carmen Monat Jardim ( falecida em 1951 ) foi casada com o Dr. Francisco Jardim, secretário-geral, aposentado, da Procuradoria do Distrito Federal, de cujo casamento nasceram duas filhas: Maria Luiza e Celeste Maria; aquela, casada com o Dr. Edgar de Amarante, engenheiro civil e eletricista, chefe da Divisão de Estudos Especiais da Light e professor da Escola Politécnica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e a segunda com o Dr. Ruy Gomes de Moraes, médico, professor catedrático da Faculdade Nacional de Farmácia da Universidade do Brasil e da Escola de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, tendo esse casal seis filhos menores: Lúcia, Heloísa, Eduardo, Miriam, Paulo e Carmen. A primeira filha viva do Dr. Monat é a Srta. Ida Helena Monat, solteira, funcionária aposentada do Ministério da Fazenda; a segunda, Adélia Olympia Monat da Fonseca, é casada com o Dr. Olympio Oliveira Ribeiro da Fonseca, diretor do Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia, professor catedrático da Faculdade Nacional de Medicina e antigo diretor do Instituto Oswaldo Cruz. São filhos deste casal Olympio Henrique Monat da Fonseca, funcionário do Patrimônio Histórico e Artístico do Ministério da Educação e Cultura, casado com D. Maria Stela de Faria Monat da Fonseca, sendo filha desse casal a menor Mônica e Henrique Olympio Monat da Fonseca, médico, solteiro. A terceira filha viva do Dr. H. Monat e a Sra. Helena Ida Monat de Vasconcellos, funcionária aposentada do Ministério da Agricultura, esposa do Dr. Felix da Cunha Vasconcellos, do quadro de oficiais administrativos do Ministério da Fazenda, sendo filho do casal o menor Manoel Henrique.

SESSÃO NA ACADEMIA NACIONAL DE MEDICINA

Em homenagem ao centenário do professor Henrique Monat, a Academia Nacional de Medicina, realizará sessão solene na próxima quinta-feira, dia 16, às 21 horas. Falará o professor Costa Junior, orador oficial da Academia, que fará uma síntese da vida e da obra do ilustre professor Monat, um dos pioneiros da Urologia em nosso país.

Colaboração: Pepe
Os benefícios do Pilates para os homens 




Embora já exista há mais de 80 anos, o Pilates tem recebido muito destaque recentemente, conquistando novos adeptos a cada dia. Geralmente, os praticantes da modalidade são pessoas do sexo feminino que buscam qualidade de vida e equilíbrio entre a mente e o corpo. Porém, o mais curioso é que, inicialmente, o Pilates era praticado apenas por homens.




De acordo com o treinador da Stott Pilates e Pilates StudioFit, Tim Fleisher, apesar da modalidade não causar grande hipertrofia, motivo pelo qual os homens optam pela musculação, o Pilates fortalece e define a musculatura do corpo, além de prevenir lesões, o que o torna um ótimo aliado a outras atividades físicas.



“O Pilates é muito importante para quem pratica diversas atividades físicas, pois protege e fortalece os músculos que envolvem as articulações, permitindo movimentos mais eficientes e seguros”, diz Tim.



Além disso, a musculação pode, sim, ser substituída pelo Pilates. Segundo o treinador, basta o professor adequar as aulas de acordo com os objetivos dos alunos. Para otimizar ainda mais as aulas masculinas, os exercícios devem visar mais o quadrante superior e atividades que desafiam a força e a resistência muscular.



As aulas de Pilates para homens têm a mesma duração das demais: 60 minutos em estúdio e 45 minutos o matwork. E os exercícios realizados não diferem do repertório já existente, mas contam com mudanças de alavancas e de amplitude que intensificam bastante o trabalho. 

Fonte: Pilates Plus
http://p2pilatesplus.blogspot.com/
FINADOS CHEGANDO 
Vereadores verificam condições dos cemitério municipal




Fonte: Câmara Nova
http://camaranovacaxambu.blogspot.com/

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A campanha mais imunda de todos os tempos

As eleições de 2010 certamente vão ficar na história como a campanha mais imunda de todos os tempos, onde a ambição desmedida do candidato José Serra já provou que não tem limites, nem éticos nem morais, em sua obsessão doentia para chegar ao poder - custe o que custar - onde o rebaixamento moral chegou até ao ponto de levar o candidato a tirar tomografica da cabeça para tentar posar como vítima de uma suposta "agressão" por bolinhas de papel. Neste episódio, o candidato conseguiu fazer apenas representar um papel ridículo - que no entanto, serviu para mostrar o grau de desequilíbrio do candidato, evidenciando também sua total ausência de escrúpulos.
Basta olhar um pouco para trás e lembrar do compromisso assinado e registrado dem cartório pelo então candidato "escadinha" que utilizou-se  dos cargos de prefeito e de governador de São Paulo como meros trampolins políticos para seu grande salto, na tentativa de agarrar a presidência da república. Para tanto, o candidato-obssessivo comportou-se como um trator, atropelando candidaturas tão legítimas em seu partido quanto a do ex-governador Aécio Neves - de quem agora implora um apoio - obtido aliás, sem entusiasmo algum, apenas por obrigação partidária, por parte do agora senador de Minas Gerais - que continua sendo a grande esperança dos tucanos para o futuro, pois a derrota iminente de Serra também significa seu sepultamento político. E já vai tarde na minha opinião, pois tal candidatura representa o que há de pior na mentalidade paulistana, incubada dentro de um ambiente artificial, onde impera  a ilusão engravatada e refrigerada dos "sábios" da USP - incapazes de entender o sotaque de goianos, mineiros, baianos, e demais habitantes de um país que não compreendem., não amam, e pior: que desprezam. Agora todo esse desprezo vai retornar em forma de votos, dando a vitória legítima para a candidata comprometida com as mudanças estruturais do país, que estão sendo empreendidas pelo primeiro presidente brasileiro de origem operária.
Para quem já se esqueceu, Serra deve sua sobrevida neste segundo turno à simpatia popular despertada pela onda verde levantada na última hora do primeiro turno pela candidata Marina Silva - que involuntáriamente acabou servindo aos interesses daqueles que pretendem levar o país de volta ao inferno astral representado pelo neoliberalismo privatizante e submisso aos interesses mais mesquinhos que ainda se debatem na esperança vã mantida pela grande mídia.
Por falar nisso, vale registrar aqui uma pequena observação em relação à postura adotada pelos grandes meios de comunicação. Sou de um tempo onde a IMPENSA servia para INFORMAR, mas o que se vê atualmente é um trabalho deliberado e orientado para FORMAR OPINIÕES. 
Como se sabe, opinião FABRICADA não tem valor nenhum, sendo apenas a mera repetição da doutrinação de uma espécie de "opinião única" imposta pelos meios de comunicação.Plim, plim!
O próprio debate da TV está sendo descaradamente anunciado, não para determinado horário. O debate está marcado para "depois de Passione" - mais descarado que isso, é simplesmente impossível. Por essas e outras, fica sempre a preocupação de mais um golpe baixo desferido em cima da hora - ainda mais quando se conhece os interesses que estão em jogo, e também o caráter dos personagens envolvidos. 
Todo cuidado é pouco para preservar nossa frágil democracia.

Fernando Victor



      COLUNA SERGIO LEVENHAGEN
                                             
                                            " Deus não tem religião".
                       Mahatma Ghandi - indiano(1869 -1948) ativista politico.

              # Pois é; alguns bispos aqui do Brasil da ala "conservadora" insistiram tanto em transformar uma disputa eleitoral de suma importância para os destinos do nosso país, em uma espécie dedebate religioso, que além de envolver o PAPA BENTO 16, ainda deram um tiro no pé do SERRA; isso porque no inicio da campanha, de uma forma orquestrada junto com os tucanos, deixaram assuntos que interessam mais e partiram para agressões verbais religiosas contra DILMA puxando temas como ABORTO, PREFÊRENCIA RELIGIOSA,etc. E como toda mentira tem perna curta, descobriram que SERRA, RECÉM-CASADO COM MONICA SERRA, PERMITIU QUE ELA FIZESSE "ABORTO" LÁ NO CHILE e aí as coisas mudaram de posição, o assunto virou fumaça e o SERRA NEGOU. Quando foi denunciado o ESQUEMA DE DESVIO DE VERBAS NO ROBOANEL,SERRA NEGOU; depois veio o "SUMIÇO" DE 4 MILHÕES DE REAIS DA CAMPANHA TUCANA , O SERRA NEGOU; descobriram que foi o PAULO PRETO; O SERRA NEGOU QUE O CONHECIA; no outro dia mudou de opinião e disse que o conhecia não como PAULO PRETO,porque era um apelido racista, mas não NEGOU que a filha do PAULO PRETO TRABALHOU NO GOVERNO PAULISTA PORQUE ELA FALAVA 3 linguas; A FOLHA DE S.PAULO-pró-Serra, DENUNCIOU ESQUEMAS DE FRAUDES DE LICITAÇÃO NO METRÔ PAULISTA, coisas de meros 4 bilhões de reais ou mais- SERRA NÃO PODIA NEGAR, era fogo amigo, e disse que ia mandar investigar, depois ELE NEGOU, disse que não seria preciso, bastava anular. SERRA NEGOU que privatizou 31 empresas brasileiras; disse que foram SÓ 9 (nove). SERRA NEGOU que privatizou a Siderúrgica Nacional; disse que foi  ITAMAR FRANCO que o apoia; SERRA NEGA TUDO:nunca foi ele, não estava lá, não conhecia, não sabe, não viu, não era com ele, NEGOU que era a favor do casamento gay, mas respeitava; assim como PAPA BENTO 16 fez parte da "temível" JUVENTUDE DE HILER, NEGOU que foi por escolha, disse que foi obrigado a filiar-se, assim com NEGOU A PEDOFILIA NA IGREJA CATÓLICA até onde pôde; foi desmentido pelas crianças e jovens que SOFRERAM ABUSOS SEXUAIS pelos padres tarados, pediu perdão, disse que DEUS PERDOA PORQUE A RELIGIÃO É FALHA, PORQUE O SER HUMANO É FALHO; não aceitaram o perdão, QUEREM PUNIÇÃO; A IGREJA CATÓLICA GASTOU BILHÕES DE DOLARES DE INDENIZAÇÃO ÀS VITIMAS, não adiantou, perdeu mais de 30% de fiéis na EUROPA; O VATICANO VIROU A ONU; não serve prá nada; perdeu a credibilidade. Mas DOM DAMASCENO e seus BISPOS POLITICOS insistem em falar uma coisa e fazer outra; Botaram o PAPA BENTO 16 nas eleições brasileiras. Outra vez, falam em democracia, direito de todos; EU CONCORDO; então vamos fazer DEMOCRACIA PARA TODOS; na escolha do próximo PAPA, que todos os CATOLICOS DO MUNDO INTEIRO TENHAM O DIREITO DE ESCOLHER QUEM VAI SER O PAPA, DIREITO DE VOTO, ISSO SIM É RESPEITO À DEMOCRACIA, é a IGREJA PROGRESSISTA que a maioria dos católicos querem. Amém.  
" Minha mente, é meu próprio templo" 
Thomas Paine- inglês (1773-1809) escritor.
                           Saudações tricolores, Bom Dilma até domingo!
                                                                                      Sergio Levenhagen.
A mídia comercial em guerra contra Lula e Dilma

O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de idéias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa. Está havendo um abuso da
 liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a distorção e a mentira direta. Precisamos dar o nome a esta mídia comercial.
São famílias que, quando vêem seus interesses comerciais e ideológicos contrariados, se comportam como “famiglia” mafiosa.
O artigo é de Leonardo Boff.

Leonardo Boff

Sou profundamente a favor da liberdade de expressão em nome da qual fui punido com o “silêncio obsequioso”pelas autoridades do Vaticano. Sob risco de ser preso e torturado, ajudei a editora Vozes a publicar corajosamente o “Brasil Nunca Mais” onde se denunciavam as torturas, usando exclusivamente fontes militares, o que acelerou a queda do regime autoritário.
Esta história de vida, me avaliza para fazer as críticas que ora faço ao atual enfrentamento entre o Presidente Lula e a midia comercial que reclama ser tolhida em sua liberdade. O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de idéias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa. Está havendo um abuso da liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a distorção e a mentira direta.

Precisamos dar o nome a esta mídia comercial. São famílias que, quando vêem seus interesses comerciais e ideológicos contrariados, se comportam como “famiglia” mafiosa. São donos privados que pretendem falar para todo Brasil e manter sob tutela a assim chamada opinião pública. São os donos do Estado de São Paulo, da Folha de São Paulo, de O Globo, da revista Veja na qual se instalou a razão cínica e o que há de mais falso e chulo da imprensa brasileira. Estes estão a serviço de um bloco histórico, assentado sobre o capital que sempre explorou o povo e que não aceita um Presidente que vem deste povo. Mais que informar e fornecer material para a discussão pública, pois essa é a missão da imprensa, esta mídia empresarial se comporta como um feroz partido de oposição.

Na sua fúria, quais desesperados e inapelavelmente derrotados, seus donos, editorialistas e analistas não têm o mínimo respeito devido à mais alta autoridade do pais, ao Presidente Lula. Nele vêem apenas um peão a ser tratado com o chicote da palavra que humilha.
Mas há um fato que eles não conseguem digerir em seu estômago elitista. Custa-lhes aceitar que um operário, nordestino, sobrevivente da grande tribulação dos filhos da pobreza, chegasse a ser Presidente. Este lugar, a Presidência, assim pensam, cabe a eles, os ilustrados, os articulados com o mundo, embora não consigam se livrar do complexo de vira-latas, pois se sentem meramente menores e associados ao grande jogo mundial. Para eles, o lugar do peão é na fábrica produzindo.
Como o mostrou o grande historiador José Honório Rodrigues (Conciliação e Reforma) “a maioria dominante, conservadora ou liberal, foi sempre alienada, antiprogresssita, antinacional e nãocontemporânea. A liderança nunca se reconciliou com o povo. Nunca viu nele uma criatura de Deus, nunca o reconheceu, pois gostaria que ele fosse o que não é. Nunca viu suas virtudes nem admirou seus serviços ao país, chamou-o de tudo, Jeca Tatu, negou seus direitos, arrasou sua vida e logo que o viu crescer ela lhe negou, pouco a pouco, sua aprovação, conspirou para colocá-lo de novo na periferia, no lugar que contiua achando que lhe pertence (p.16)”.

Pois esse é o sentido da guerra que movem contra Lula. É uma guerra contra os pobres que estão se libertando. Eles não temem o pobre submisso. Eles tem pavor do pobre que pensa, que fala, que progride e que faz uma trajetória ascendente como Lula. Trata-se, como se depreende, de uma questão de classe.
> Os de baixo devem ficar em baixo. Ocorre que alguém de baixo chegou lá em cima. Tornou-se o Presidene de todos os brasileiros. Isso para eles é simplesmente intolerável. Os donos e seus aliados ideológicos perderam o pulso da história. Não se deram conta de que o Brasil mudou. Surgiram redes de movimentos sociais organizados de onde vem Lula e tantas outras lideranças. Não há mais lugar para coroneis e de “fazedores de cabeça” do povo. Quando Lula afirmou que “a opinião pública somos nós”, frase tão distorcida por essa midia raivosa, quis enfatizar que o povo organizado e consciente arrebatou a pretensão da midia comercial de ser a formadora e a porta-voz exclusiva da opinião pública. Ela tem que renunciar à ditadura da palabra escrita, falada e televisionada e disputar com outras fontes de informação e de opinião.
O povo cansado de ser governado pelas classes dominantes resolveu votar em si mesmo. Votou em Lula como o seu representante. Uma vez no Governo, operou uma revolução conceptual, inaceitável para elas. O Estado não se fez inimigo do povo, mas o indutor de mudanças profundas que beneficiaram mais de 30 milhões de brasileiros. De miseráveis se fizeram pobres laboriosos, de pobres laboriosos se fizeram classe média baixa e de classe média baixa de fizeram classe média. Começaram a comer, a ter luz em casa, a poder mandar seus filhos para a escola, a ganhar mais salário, em fim, a melhorar de vida.
Outro conceito inovador foi o desenvolvimento com inclusão soicial e distribuição de renda. Antes havia apenas desenvolvimento/crescimento que beneficiava aos já beneficiados à custa das massas destituidas e com salários de fome. Agora ocorreu visível mobilização de classes, gerando satisfação das grandes maiorias e a esperança que tudo ainda pode ficar melhor. Concedemos que no Governo atual há um déficit de consciência e de práticas ecológicas. Mas importa reconhecer que Lula foi fiel à sua promessa de fazer amplas políticas públicas na direção dos mais marginalizados.
O que a grande maioria almeja é manter a continuidade deste processo de melhora e de mudança. Ora, esta continuidade é perigosa para a mídia comercial que assiste, assustada, o fortalecimento da soberania popular que se torna crítica, não mais manipulável e com vontade de ser ator dessa nova história democrática do Brasil. Vai ser uma democracia cada vez mais participativa e não apenas delegatícia. Esta abria amplo espaço à corrupção das elites e dava preponderância aos interesses das classes opulentas e ao seu braço ideológico que é a mídia comercial. A democracia participativa escuta os movimentos sociais, faz do Movimento dos Sem Terra (MST), odiado especialmente pela VEJA faz questão de não ver, protagonista de mudanças sociais não somente com referência à terra mas também ao modelo econômico e às formas cooperativas de produção.
O que está em jogo neste enfrentamento entre a midia comercial e Lula/Dilma é a questão: que Brasil queremos? Aquele injusto, neocoloncial, neoglobalizado e no fundo, retrógrado e velhista ou o Brasil novo com sujeitos históricos novos, antes sempre mantidos à margem e agora despontando com energias novas para construir um Brasil que ainda nunca tínhamos visto antes.
Esse Brasil é combatido na pessoa do Presidente Lula e da candidata Dilma. Mas estes representam o que deve ser. E o que deve ser tem força. Irão triunfar a despeito das má vontade deste setor endurecido da midia comercial e empresarial. A vitória de Dilma dará solidez a este caminho novo ansiado e construido com suor e sangue por tantas gerações de brasileiros.
 
Leonardo Boff
(*) Teólogo, filósofo, escritor e representante da Iniciativa Internacional da Carta da Terra.

Eleições 2010

Datafolha: Dilma soma 56% dos votos válidos; Serra tem 44%


A candidata à presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, mantém 12 pontos de diferença para seu adversário, José Serra (PSDB), segundo pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira (29). A petista soma 56% dos votos válidos contra 44% de Serra.
Nos votos totais, quando são contados os eleitores indecisos e os votos brancos e nulos, Dilma tem 50% e Serra, 40%. Não souberam ou não opinaram somam 4% e afirmaram votar em branco ou nulo, 5%. A margem de erro é de dois pontos percentuais
Encomendada pela Folha de S. Paulo, a pesquisa foi realizada no dia 28 de outubro, com 4.205 entrevistados em todo País, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 24 de outubro de 2010, sob o número 37721/2010.
 Fonte:
http://noticias.terra.com.br/eleicoes/2010/noticias/0,,OI4761545-EI15314,00-Datafolha+Dilma+soma+dos+votos+validos+Serra+tem.html

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

SARAU EM CAXAMBU
TODO DOMINGO ÀS 18h.
NA PRACINHA DENTRO DA GALERIA JOÃO BRANCO NO CALÇADÃO
Traga seu instrumento, sua voz, sua música, poesia, conto, sua arte.
Ou simplesmente venha assistir !
Visibilidade para nossos Artistas.
Vamos nos divertir com Arte.
Entrada Franca
Apoio:
SPA HOLÍSTICO CHÁCARA DAS ROSAS
CAXAMBU – SUL DE MINAS
Blog: http://desenvolvendoaconscienciadesimesmo.blogspot.com/

Informativo Florestal - PM Ambiental - MG


ATENÇÃO, PESCADORES:

PERÍODO  PIRACEMA:  2010-2011, CONFORME PORTARIA 223/2010-IEF

       Art.1º. Estabelecer normas de pesca para o período de proteção à reprodução natural dos peixes, anualmente, de 1º de novembro/2010 a 28 de fevereiro/2011, na bacia hidrográfica dos Rios Grande e Paranaíba, no Estado de Minas Gerais.
       Art. 2º Proibir a captura, o transporte e o armazenamento de espécies nativas da bacia hidrográfica dos Rios Grande e Paranaíba, inclusive espécies utilizadas para fins ornamentais e de aquariofilia assim como a utilização, o porte, a guarda e o transporte nos locais de pesca de peixes sem couro ou escamas, dificultando a sua identificação
       Art. 3º Proibir a pesca para todas as categorias e modalidades:
I - Nas lagoas marginais;
II - a menos de quinhentos metros (500m) de confluências e desembocaduras de rios, lagoas, canais e tubulações de esgoto;
IV - Até um mil e quinhentos metros (1.500m) a montante e a jusante de cachoeiras e corredeiras;
IX - Com o uso de aparelhos, petrechos e métodos de pesca não mencionados nesta portaria;
     Art. 7º Permitir a pesca em rios da bacia, somente na modalidade desembarcada e a pesca em reservatórios, nas modalidades embarcada e desembarcada, sendo ambas com a utilização exclusivamente de linha de mão, vara simples, caniço com molinete ou carretilha
IV - Captura e transporte de 3 (três) kg de peixes mais um exemplar para o pescador profissional e cota de 3 (três) kg mais um exemplar para o pescador amador, por dia ou jornada de pesca, somente das espécies não nativas (alóctones e exóticas) e híbridos tais como: apaiari (Astronotus ocelatus); bagre-africano (Clarias sp.); black-bass (Micropterus sp.); carpa (todas as espécies); corvina ou pescada-do-Piauí (Plagioscion squamosissimus); peixe-rei (Odontesthis sp.); sardinha-de-água-doce (Triportheus angulatus); piranha preta (Serrassalmus rombeus) tilápias (Oreochromis spp. e Tilapia spp.); tucunaré (Cichla spp.); zoiudo (Geophagus surinamensis e Geophagus proximus) e híbridos.
ESTÁ PROIBIDA A PESCA  DE: DOURADO, LAMBARI, MANDI, PIAUÍ, PIAU TRÊS PINTAS,
CURIMBA, TRAIRA, TABARANA,ETC.
Art. 10 Os materiais de pesca apreendidos em decorrência do não cumprimento das normas estabelecidas nesta portaria não serão restituídos, cabendo ao órgão competente a sua destinação final, em cumprimento a Lei n o 9.605/98.
Art. 12 o Fica estabelecido o segundo dia útil após o início do defeso, como data limite para declaração ao IEF, dos estoques de peixe in natura, congelados ou não, provenientes de águas continentais, existentes nos frigoríficos, peixarias, colônias e associações de pescadores, armazenados por pescadores profissionais, entrepostos, postos de venda, depósitos e câmaras frias, em posse de feirantes, ambulantes, bares, restaurantes, hotéis e similares,
Art. 14 Aos infratores da presente Portaria serão aplicadas as penalidades previstas nas legislações.

LEMBRO TODOS DA NECESSIDADE DO REGISTRO E PORTE DA LICENÇA DE PESCA, NO ATO DA FISCALIZAÇÃO.

PMMG AMBIENTAL DE SÃO LOURENÇO
Via Ramon, 684, sala 04, Vila Pascoal,cep 37470-000, São Lourenço/ MG, Tel 35 3331 6137.
                                                                              E-MAIL: pelmambslco@gmail.com

ANPOCS - Caxambu 2010

Anpocs reúne Em Caxambu Cerca de 2 mil cientistas políticos, sociais e antropólogos

Arnaldo Bloch, enviado especial
CAXAMBU (MG) - Cinco anos passados do ciclo de conferências "O silêncio dos intelectuais" - em que Marilena Chauí conclamou os pensadores a um maior engajamento -, um silêncio pré-eleitoral parece ter baixado no balneário mineiro. A três dias das eleições, os temas da sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e campanha eleitoral não deram o ar da graça, pelo menos entre os eventos centrais, até o encerramento do segundo dia de atividades do 34º Encontro Anual da Anpocs, que reúne sociólogos, antropólogos e cientistas políticos em dezenas de fóruns, simpósios e mesas-redondas, com apresentação de mais de 600 trabalhos.
Nem nas duas sessões do fórum "Instituições políticas sob o governo Lula", terça-feira e quarta-feira, os participantes abordaram os temas, limitando-se a apresentar trabalhos avaliando - em geral em comparação ao governo Fernando Henrique - os oito anos de Lula. E destacando, quase sempre, o viés positivo.
'Serra e Dilma são melhores do que mostraram'
Participante desta mesa, Fernando Luiz Abrucio, professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) de São Paulo, que apresentou um painel sobre o pragmatismo do segundo mandato de Lula, atribui o silêncio à radicalização da campanha.
- Só vai ser possível olhar além quando os ânimos estiverem mais aplacados. Mesmo na FGV, onde trabalho, o grau de belicismo é figadal. Serra e Dilma são muito melhores do que mostraram. Ficaram à mercê dos joguinhos, dos ódios. Serra tem uma história maior que Dilma, mas ela tem uma experiência administrativa e partidária não negligenciáveis. Não é uma neófita. Eles se equivalem em vários aspectos.
Menos condescendente, embora falando sempre baseado em constatações, como deve fazer um sociólogo, é o cientista Luiz Werneck Vianna, professor e pesquisador do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj).
- Faltam pouquíssimos dias para a eleição. Numa reunião com quase 2 mil intelectuais, você só ouve falar do assunto em conversas privadas, entre colegas. Admitamos: há uma dominância do PT na academia e na área de pesquisa em geral, que tem a ver com as políticas públicas que tiveram o setor de ciência e tecnologia como alvo.
Participante do grande encontro como expositor numa sessão especial em homenagem a Gildo Marçal Brandão, é com a mesma isenção que Werneck observa o evento em si:
- Este acontecimento aqui não se explica sem o apoio do Estado, das estatais, do BNDES, da Finep. Este não é o espaço da opinião livre, mas um mundo todo referido a realidades do poder. O mundo da opinião tem presença aqui, mas ela não é dominante. Na maior parte dos casos, esses congressos envolvem indivíduos que dependem mais das agencias estatais que da sociedade. É um espaço muito particular. E os grandes recursos privados não se interessaram ainda por esse pedaço do mundo. Se é que algum dia vão se interessar.
Um exemplo do que ele diz pode ser representado pelas palavras de um participante da mesa de avaliação do governo Lula que, a certa altura de suas considerações, deixou escapar: "Vou parar por aqui porque esse assunto é arriscado".
" A discussão da ética está se fulanizando muito e apresentando poucas soluções. Há um certo cansaço. Paulo Preto ou Erenice? O eleitorado padrão acha que todo mundo é ladrão "

Nota-se, também, a ausência quase completa de menções a temas como corrupção, evolução dos valores, ou ética na política. Na visão de Abrucio, o que ocorre é uma espécie de esgotamento do tema e uma "fulanização".
- A discussão da ética está se fulanizando muito e apresentando poucas soluções. Há um certo cansaço. Paulo Preto ou Erenice? O eleitorado padrão acha que todo mundo é ladrão. Venho trabalhando nos últimos 15 anos com muitas pesquisas qualitativas que deixam clara esta noção.
Instado a responder se, como dizem alguns críticos, Lula teria contribuído para esta noção por sua postura diante dos escândalos do mensalão, Abruccio prefere destacar avanços.
- Coisas boas foram feitas das quais pouco se fala, como o trabalho da Controladoria Geral da União. Talvez nós, intelectuais, junto com a mídia e os partidos, estejamos focando de maneira errada tais questões. Temos que sair um pouquinho só do denuncismo e ver o que faz esses processos ocorrerem. E formular soluções, de curto prazo, como melhoria das instituições, e de médio prazo, como o avanço da educação. E, importantíssimo, como destaquei em minha apresentação: a reforma da administração pública. Precisamos de mecanismos mais claros de cobrança e uma maior transparência. Está na hora de mudar o disco para uma linha mais propositiva de recuperação, não de destruição da política. Há questões mais importantes que a bolinha de papel. Em que canal vamos circular, para não transformar a discussão da ética simplesmente no sobrevoo sobre Brasília de "Tropa de Elite"? Fernando Henrique me ensinou que o papel do cientista político é pesquisar políticas públicas. É mais do que um governo, o que estamos analisando aqui.
Fonte:    
http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2010/mat/2010/10/27/anpocs-reune-quase-2-mil-cientistas-politicos-sociais-antropologos-mas-nao-discute-campanha-eleitoral-922892450.asp

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

ACORDOS INTERNACIONAIS DO GOVERNO LULA ENFATIZAM CONHECIMENTO E TECNOLOGIA

Por Esther Lucio Bittencourt
“Somos pobres mas podemos compartilhar o pouco que nos sobra em algumas áreas de conhecimento e tecnologia, em acordos internacionais, principalmente com países menos desenvolvidos do que o Brasil”, é o que a professora de Ciências Políticas, Simone Diniz, da Universidade Federal de São Carlos, falará hoje no Panorama de Política Externa no Governo Lula no fórum “Instituições Políticas sob o Governo Lula”, no 34º Encontro Anual da Anpocs, que irá até o dia 29 deste mês, em Caxambu/MG.

Ela mapeará os acordos de cooperação internacional que o Governo Lula negociou com outros países, quais os tipos de cooperação privilegiados e constatou que as cooperações mais próximas são com os países da Ásia, do Oriente Médio e da América Latina. Afirma Simone que esta é uma das tônicas, uma das faces do Governo Lula na cooperação internacional.

“E há gradações cooperativas. Que tipo de conteúdo mais substantivos destes acordos foram negociados? Por exemplo; há uma preocupação bastante significativa com atividades ilícitas, principalmente nas fronteiras, tráfico de drogas, tráfico de armas...; há um intercâmbio bastante acentuado no que diz respeito às questões penais - uma preocupação em firmar acordos com outros países, principalmente com nossos vizinhos, de cooperação jurídica, na área penal, - tem muita coisa relacionada à extradição - mas há preocupação bastante significativa com questões ambientais...

Por exemplo, com o Perú, há um número importante de acordos para questões voltadas para o Meio Ambiente, como o de manutenção da floresta Amazônica...
Enfim, é uma política externa, no que diz respeito à cooperação, bastante ativa, tentando enfrentar temas importantes com a preocupação de ajudar países menos desenvolvidos...”.


ACORDOS DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

Informa a professora Simone Diniz que o Brasil está em condições de ajudar a países menos desenvolvidos porque ele tem diferentes gradações de desenvolvimento.

“E, de fato, o Brasil... talvez não possamos generalizar para todo o país, mas a gente tem polos de desenvolvimento muito importantes. Você pode questionar se temos recursos suficientes para ajudar financeiramente, mas a cooperação não precisa ser necessariamente financeira.

Por exemplo, são firmados muitos acordos internacionais de parcerias para troca de tecnologia, de informações, treinamento de pessoal capacitado e para muito coisa nós temos know-how.

Na área educacional, há parcerias significativas; na área cultural, de co-produção de cinema, de mídia com instrumental mais tecnológico...  então, acho que nós somos pobres, mas podemos compartilhar o pouco que nos sobra em algumas áreas.”


ACORDO COM O IRÃ

“Não falarei deste assunto especificamente, porque não trato de países individualmente. A minha preocupação é muito mais fazer um mapeamento no que diz respeito a regiões.

No entanto, a questão energética que aparece no Irã, ocorre com outros países também. De uma forma geral, o Irã chamou muito mais atenção por conta do próprio fato de ser o Irã. Nós temos acordo de cooperação de energia nuclear, por exemplo, com países como Polônia... A nossa Constituição ela já explicita que tecnologia nuclear só deve ser utilizada para fins pacíficos. Isto está na nossa Carta Constitucional.
Na verdade, apareceu muito na mídia a questão do Irã, por outros motivos, mas o Brasil tem uma prática de fazer parcerias em troca de informações, troca de conhecimento, troca de know-how, e, no que diz respeito à questão nuclear com muitos outros países.

Há inúmeros países que não têm recursos suficientes para gerar energia, que não podem ter uma hidroelétrica... então, em muitos casos, a energia nuclear é necessária. Talvez não seja tanto o caso do Brasil, mas para outras nações ela é muito importante, principalmente para o próprio desenvolvimento”, finaliza Simone.
 
Primeira Fonte:
http://www.primeirafonte.blogspot.com/
DIRETORA  E PEDAGOGA FORMADA PELA FACULDADE VICTOR HUGO SÃO SELECIONADAS PARA APRESENTAREM SEUS TRABALHOS EM  CONGRESSO INTERNACIONAL (CUBA)
Na foto:
Prof.ª Leila R. Direzenchi (Diretora Pedagógica da Faculdade Victor Hugo) e
Cassandra Ciuci Cardoso ( Pedagoga formada pela Faculdade Victor Hugo em julho/2010)
 
    A Prof.ª Leila Rubinsztajn Direzenchi (Diretora Pedagógica da Faculdade Victor Hugo) e a Pedagoga Cassandra Ciuci Cardoso, que colou grau em julho/2010, tiveram seus trabalhos selecionados pelo Ministério da Educação da República de Cuba para serem apresentados no Congresso Internacional (Pedagogia 2011) , Encuentro por la unidad de los educadores que acontecerá no Palacio de Las Convenciones de la Habana (Cuba) de 24 a 28 de janeiro de 2011.
    O trabalho da Prof.ª Leila intitulado "A Missão Organizacional nas Instituições Superiores Isoladas" tem por objetivo demonstrar a interface entre a educação e a administração, na construção de um projeto institucional de uma instituição de ensino superior isolada, amparada pela administração estratégica.
    O trabalho de Cassandra "Edifício Humano" versa sobre o ciclo de vida que é permanente. Seu trabalho junta as métricas perfeitas do corpo humano, das edificações e forma o que chama de "edifício humano".
   O fato destes trabalhos terem sido selecionados para apresentação em  evento internacional é motivo de orgulho, principalmente por enaltecer o nome da Faculdade Victor Hugo.

 
 

Câmara Nova

CONQUISTAS DOS DIREITOS
Conforme este blog noticiou nesta última sexta feira 22/10/2010 que, os vereadores, Sgt° De Paula e Rubens Maciel, receberam na Gabinete da Câmara Municipal a mãe e atleta Maria Aparecida de Souza, solicitando respaldo em suas razões perante ao acordo fechado com antecedência junto a SEC. MUN. DE EDUCAÇÃO quanto ao calendário de competições da EQUIPE DE JIU-JITSU que, ora veio representar CAXAMBU em uma das competições previamente agendada na cidade de CAMBUI.
Devidamente recebida como todos os que procuram a ajuda de algum vereador na Câmara Municipal, a mãe e  atleta Maria Aparecida encontrou nos vereadores o apoio suficiente para demover a decisão tomada anteriormente pela Secretaria que era de suspensão da viagem por motivo de falta de transporte. 
No entanto, após a conversa com os vereadores e a atleta, a Secretária acabou por entender que era de bom tom manter o compromisso anteriormente assumido com 20 atletas da modalidade de Jiu-Jitsu.
Quando se persevera em busca de um ideal próprio e muito mais ainda, quando envolve uma criança indicada para o esporte como terapia, a dedicação no ideal se torna mais pungente na sua conquista. Os resultados destas conquistas de todos os envolvidos, foram as VITÓRIAS CONSEGUIDAS PELAS ATLETAS MÃE E FILHA "Maria Aparecida, Raíssa e dos Vereadores". 
Fonte: Camara Nova
http://camaranovacaxambu.blogspot.com/

 Comparação entre os governos
Lula X FHC


Com isenção de ânimo e sem paixões políticas, conhecer indicadores sociais e econômicos publicados pelo Jornal “The Economist”, comparando os Governos FHC (PSDB) e Lula (PT).

A diferença e muito grande... É bom lembrar.
LEIAM O QUE FOI PUBLICADO NO JORNAL THE ECONOMIST

Situação do Brasil antes e depois: Itens
Nos tempos de FHC
-PSDB-


Nos tempos de LULA
-PT-



Risco Brasil
2.700 pontos
200 pontos
Salário Mínimo
78 dólares
210 dólares
Dólar
Rs$ 3,00
Rs$ 1,78
Dívida FMI
Não mexeu
Pagou
Indústria naval
Não mexeu
Reconstruiu
Universidades Federais Novas
Nenhuma
10

Extensões Universitárias
Nenhuma
45

Escolas Técnicas
Nenhuma
214

Valores e Reservas do Tesouro Nacional
185 Bilhões de Dólares Negativos
160 Bilhões de Dólares Positivos

Créditos para o povo/PIB
14%
34%

Estradas de Ferro
Nenhuma
3 em andamento

Estradas Rodoviárias
90% danificadas
70% recuperadas

Industria Automobilística
Em baixa, 20%
Em alta, 30%

Crises internacionais
4, arrasando o país
Nenhuma, pelas reservas acumuladas.

Cambio
Fixo, estourando o Tesouro Nacional.
Flutuante: com ligeiras intervenções do Banco Central

Taxas de Juros SELIC
27%
11%

Mobilidade Social
2 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza
23 milhões de pessoas saíram da linha de pobreza

Empregos
780 mil
11 milhões

Investimentos em infraestrutura
Nenhum
504 Bilhões de reais previstos até 2010

Mercado internacional
Brasil sem crédito
Brasil reconhecido comoinvestment grade