Palace Hotel - Caxambu

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

                                                                          
COLUNA SERGIO LEVENHAGEN on line
  
" Late e morde"
    
# A gente precisa aqui em Caxambu criar uma ONG que eduque os cachorros que estão por aí, pelas ruas da cidade: no centro, no calçadão, na praça, em frente à Prefeitura, sem o devido respeito pelas pessoas que passeiam a pé, de moto ou até de carro. Precisamos mostrar a eles que o respeito´tem que ser mútuo - tem espaço prá todo mundo, e mesmo que exista a responsabilidade da secretaria de meio-ambiente totalmente inerte, não dá para dividir o espaço, porque não sobra quase nada prá nós. Eles são totalitários, não respeitam nem crianças e nem idosos - só aqueles que todas as tardes distribuem comida perto do antigo coreto, fazendo daquele lugar uma espécie de pausa para refeições dos ataques ferozes e constantes que espalham medo a quem ousa chegar perto de seus espaços delimitados. O fato deles sujarem os passeios, a culpa de pisar em cima é de quem andar, porque deveria, antes de pisar, olhar com cuidado - afinal, ainda não foi construido um banheiro próprio para raça canina. 
As pessoas que foram mordidas por eles, mesmo que tenham ido ao hospital para fazer os curativos e tomar a injeção anti-tetânica não, devem ver isso pro lado negativo. Imagine se no lugar de uma mordida, mesmo dolorida, você tivesse sido picado por uma cobra venenosa. 
Dizem que mandaram "congressistas" para São Lourenço, e eles agradecidos, enviaram uns cachorrinhos prá cá, num gesto de eterna amizade. Então.....como a Prefeitura ainda não decidiu o que fazer para proteger os cães de possiveis skinheads baderneiros, já que eles tem o direito de ir e vir, fica a nossa preocupação, restando somente pedir ao "protetor" dos animais ,S.Francisco de Assis, que interceda por todos nós: amém.
# Precisamos também criar uma ONG de "proteção" aos Orelhões, chamados de telefones públicos, principalmente agora em época de carnaval. Mesmo que esses orelhões não sirvam prá nada, muito menos para os que os destroem, é um direito de todos tentar preservar o que foi colocado ali e não incomoda ninquém - se você quiser conversar com ele, pode xingar, gritar, reclamar e até chorar que ele (o orelhão) não interfere e nem dá palpite errado. Só está ali porque alguém colocou, e prá que serve eu não sei. Você, que sempre destrói, por acaso sabe?
 -Saudações TRIcolores
   A gente volta.
   
- Um abraço prá cachorrada nas ruas. Faz parte da paisagem.
                                                                    
                                                                                    Sergio Levenhagen
SPU cede imóvel para Casa da Criança e do Adolescente

A Superintendência do Patrimônio da União de Minas Gerais autorizou a Associação Casa da Criança e do Adolescente de Caxambu a usar, de graça, um imóvel federal para instalar atividades da entidade. De acordo com a portaria, publicada no Diário Oficial, a área cedida está localizada na Avenida Barão do Rio Branco, no centro, na Chácara Mairink. O superintendente da SPU de Minas, Rogério Aranha, afirma que a doação do imóvel vai ajudar a tirar crianças e adolescentes de situações de risco.
TEC/SONORA: superintendente da SPU de Minas Gerais, Rogério Aranha
"Esse imóvel, que é da União, vai estar acolhendo, servindo ao uso do município, acolhendo as crianças de zero a dezessete anos em situações de risco. Ou seja, é a União Federal contribuindo com a comunidade de  Caxambu e entorno para esse trabalho de acolhimento dessas crianças que estão em situação de risco social."

LOC/REPÓRTER: De acordo com a portaria, o prazo de cessão da área é de dez anos, a partir da assinatura do contrato, e pode ser prorrogado por igual período.
Reportagem, Silaine Bohry

Fonte:  
http://www.agenciadoradio.com.br/espelho_mp/corpo_noticia.php?codigo_noticia=MPLA110073

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Carnaval 2011

BLOCO DA GRANJA
Há 43 anos alegrando o carnaval de Caxambu

                                                        
                                                      1971
                                               Roque,.. , .., Galdininha,...

1979
Mocinha de amarelo Romulo, Zezinho Brochado, Gal, Zoinho e Fabio
1984


 1995

1996

2002



2009

Fotos do arquivo de Galdino Machado

Arquivo Histórico - Fotos antigas de Caxambu

Antigo Mercado Municipal de Caxambu



Esta é uma das poucas imagens que restaram do antigo Mercado Municipal de Caxambu
A estrutura de ferro do mercado, produzida Europa, foi desmontada em meados do Séc.XX,

Colaboração: Pepe

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Venha curtir o Carnaval 2011 em Caxambu - MG!


Storwo Folia 2011

6ª edição do maior 

Carnaval de Caxambu!

Se ainda não decidiu onde vai passar o carnaval 2011 pode se programar. O Carnaval está chegando e a cidade começa a se preparar para receber a maior folia do ano. Caxambu reúne várias opções que permitem organizar o maior Carnaval de rua da região. O carnaval em 2011 ocorre entre os dias 4 e 8 de março.
A pré-venda já está aberta! Faça o seu pedido de reserva aqui! As vagas são limitadas em cada Lote (Confira)!
Participe do sorteio do Bloco do Storwo e ganhe dois abadás de cortesia!
Hoje: 26/02/2011
Lote atual a venda: Lote E - R$ 220,00 (Preço do pacote único de 4 dias)
Atenção:
Informações adicionais importantes sobre a programação e organização do Carnaval serão divulgadas nas próximas semanas. Portanto, não esqueça de consultar o site no dia anterior ao evento.
Confira aqui quem vai participar da 6ª edição do Storwo!

Esportes

Atletas de Caxambu

Dando sequência ao projeto de divulgação dos atletas que atuam em Caxambu, destacamos um atleta que  declara seu amor pela nossa cidade:


RAFAEL SALVADOR




Modalidade: handebol.
Posições: Pivô e armador esquerdo.
1.87 de altura 96 Kg.
Jogou por Araraquara, Descalvado, São Carlos, Ribeirão Preto e Limeira.
Regionais: 2008, 2009 
Terceiro colocado em 2010
Liga são Sarlos de  2007 
São Carlos Open 2010, e terceiro colocado nos Jogos da Juventude 2008.

 - Acho que o esporte de Caxambu tem muito o que crescer, e deveria ser melhor administrado, pois o que se vê são muitos valores sendo perdidos.
 - Meu sonho é um dia jogar por Caxambu, que é a minha segunda casa.

Fonte: Esportes de Caxambu





sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

COLUNA SERGIO LEVENHAGEN on line
 
           " Uma comissão consiste em uma reunião de pessoas importantes que, sozinhas, não podem fazer nada, mas juntas, decidem que nada pode ser feito"
 
 
  O "caso" do calçamento do Vila Verde, se é mesmo o que foi divulgado; que o Prefeito Luiz Carlos recebeu 167 mil reais para consertar as ruas daquele bairro, conforme oficio 632/2010 e ainda  com responsabilidade por parte da Empresa de não ter concluido as obras é  problema seríssimo para os vereadores resolverem: se a contratada recebeu. quanto? Esse dinheiro veio de qual convênio? O que determina esse convênio? 
Essas coisas tem que ser apuradas, porque senão, vai sobrar pros vereadores. A gente nas ruas escuta muitas críticas contra vereador e mesmo aqueles que estão, de fato, trabalhando pela cidade não estão sendo poupados diante de uma visível irritação da maioria da população caxambuense. 
E qyanto aquele outro "caso" do terreno comprado lá no Caxambu Velho -  que era para um suposto distrito industrial (mais uma tapeação) com outro "suposto" superfaturamento no valor do imóvel -  foi apurado pelos vereadores?
 
# Tribunal de justiça de Minas Gerais começou a ouvir os supostos integrantes do "Mensalão do PSDB" aqui em Minas Gerais; estão envolvidos o hoje Deputado federal Eduardo Azeredo(PSDB), o ex-ministro do Turismo Walfrido Mares Guia, o empresário Marcos Valério, e ex-presidentes da Copasa, da ex´COMIG, hoje CODEMIG, e outros tantos. Esse mensalão começou em 1.998 - será que vai dá alguma coisa?
 
# Deputado Arantes, apoiado aqui pelo Guilherme Pereira, teve uma idéia louvável de criar um fundo contra enchentes: uma prevenção financeira, para não ter que ir até Brasilia de pires nas mãos implorar por recursos. Foi boa.
 
# Governador Anastasia criando uma comissão aqui nas Gerais para  o "combate à fome e à miséria" o que é fato inédito e uma agradável surpresa.
 
# Funcionários da Prefeitura de Caxambu pedindo que o sindicato interceda junto ao Prefeito Luiz Carlos para uma "reposição salarial" agora em fevereiro. Ali[as, essa proposta já foi defendida pelo próprio prefeito em 2008, quando ele como médico e funcionário da Prefeitura foi na Câmara de vereadores pedir "reposição salarial" diante da defasagem de pelo menos uns 45% (fez isso 6 meses antes das eleições onde ele foi eleito) e fez críticas contundentes ao então Prefeito Isaac Rosental e sua equipe. E agora? Será que o Doutor Luiz Carlos vai fazer o que ele falou em 2008?  Ou ele, quando voltar à sua função de médico na Prefeitura vai outra vez na "Tribuna livre" reclamar dos baixos salários que continuam até hoje? Só esperar prá ver. 
Como sempre dizia Confúncio; "Pimenta nos olhos dos outros...."
 
 - Saudações TRIcolores - a gente chega lá, apesar de tudo.
   
   Sergio Levenhagen

Atletas de Caxambu


Tá na hora de se valorizar um pouco mais nossos jovens
Afinal esporte não e só Futebol
Temos grandes atletas em muitas modalidades em Caxambu
Começo essa série com o jovem FABIO FERNANDES
Alguem conheçe? Se não, tá hora de conhecer! Veja a declaração que seu ex técnico deu
Ai eu pergunto:
Pra que trazer atletas de fora pra representar Caxambu?


Veja o Texto
DEPOIMENTO DE UM TÉCNICO DE BASQUETE.


 


FÁBIO FERNANDES = JOGADOR DE BASQUETE.



O que dizer sobre Fábio Fernandes (O Mineiro), bom vou me apresentar primeiro, sou Prof. e Técnico de Basquete do América FC – RJ, e atualmente Canto do Rio FC – Niterói, e acumulo os cargos de Coordenação Técnica das categorias de base destes clubes citados, já passei por diversos clubes no Rio, Minas e São Paulo e outros tenho 47 anos e conheci este magnífico atleta aqui no rio, numa situação muito corriqueira no mundo do basquete.
Em 2008, Fábio Fernandes ( O Mineiro), veio para o RJ, fazer teste no Club Municipal vizinho de bairro do América FC, e teve a infelicidade de não passar neste teste desolado, desanimado e talvez desacreditado por si próprio, voltou para sua terra natal, aceitando o seu destino de não jogar um Campeonato estadual do RJ.
Porem uma luz no fim do túnel surgiu no seu destino, um dos pais de um atleta deste clube que ele fez teste o indicou para mim, já que eu estava precisando la no América FC, de pivô bom ai estabeleci o contato via internet com o Fábio e marquei com ele para vim fazer os teste aqui no Rio, hora de imediato ele aceitou e viajou mais uma vez para o Rio só que desta vez para ficar.
Ao chegar ao América FC, eu lhe mostrei logo a realidade crua do clube, para que ele não ser iludisse achando que ia para um clube para ganhar milhões, disse para ele que para ser jogador tem que passar por muitas dificuldades já que não tinha um histórico no esporte e que ninguém o conhecia, portanto tinha que treinar forte e aprender rápido para que pude-se ter uma chance e que o clube não ia oferecer nada para ele, a não ser uma bolsa de estudos no Colégio Wakigawa, e somente isto a sua moradia era por conta dele e toda sua despesas por conta também.
De imediato ele aceitou e iniciamos os treinamentos no inicio da temporada, hora no inicio ele não me mostrou para o que veio, desanimado fazendo um treino fraco sem muita vontade então não escalava para os jogos já que não estava a contento nem técnico e nem tático.
Com o passar dos dias eu ia fazendo varias pressões psicológicas e aumentando o grau de ensinamentos e injetando uma maior informação tática e técnica em sua mente, ele deslumbrou graças a deus e passou a fazer um treino com muita vibração e energia já, comandava o garrafão com seu domínio forte nos rebotes, e definições no ataque, então resolvi premia-lo com um jogo oficial de viajem, contra o Clube Comary em Teresópolis a sua estréia foi ótima foi um dos melhor reboteiro do jogo e muito me deixou feliz, ficando assim escalado como titular da equipe ate o final do campeonato, Fábio e um exemplo de superação e raça, um caráter excepcional para ser jogador, porem as armadilhas da vida as vezes nos tira do foco e do caminho certo.
No final da temporada em um treinamento, de preparação para a próxima temporada que eu exigir que ele tenta-se jogar de ala ate porque sua estatura não daria mais para aproveitá-lo como pivô no ano seguinte, e ao força uma infiltração lateral ele torceu o joelho causando uma lesão grave que teve que abandonar as quadra e o campeonato de 2009 prematuramente, muito triste isto mais era verdade, então Fábio Fernandes voltou para sua cidade natal, para proceder os exames e tratamento cirúrgico, hoje sabemos que o mineiro tem plenas condições de voltar para as quadra basta vencer o seu trauma psicologismo que tenho certeza que o MINEIRO, e com aqui no Rio o conhecemos voltara sim para as quadras do Rio de Janeiro e reconquistar a sua fama de melhor jogador em quadra.
Fabio Fernandes (O Mineiro) Tem ainda sua fama no garrafão com sua marca de melhor reboteiro do ano de 2008 confirmada pela Federação de Basquete do Estado do Rio de Janeiro (FBERJ) com uma media de 31,3 rebotes por jogo, ele se destacou com sua força de vontade e determinação mineiro entra pra historia no Rio.
Um pivô que ninguém conhecia hoje com toda certeza MINEIRO e conhecido em todos os clubes.
Um dos poucos jogadores que vem de fora e é convocado para Seleção Carioca uma vitória tanto pra ele quanto pra mim.
Grande MINEIRO as portas sempre vão estar abertas pra você aqui no Rio, sua evolução tática e técnica foi fantástica em pouco tempo.
Tive a honra de ter você como meu atleta, mesmo você parado você vai ser sempre um exemplo de atleta pra mim e pra todos q viram seu crescimento.



Rio de Janeiro, 15 de Junho de 2010.

Coordenador Técnico de Basquete do América FC – RJ.
Coordenador Técnico de Basquete do Canto do Rio FC – Niterói.
Prof. Hamilton Coach. 

Fonte: Esportes de Caxambu
http://esportesdecaxambumg.blogspot.com/

Sind-UTE/MG realiza VI Conferência Estadual de Educação

A VI Conferência Estadual de Educação, que aconteceu de 18 a 20 de fevereiro, no hotel Glória, em Caxambu, foi o maior evento promovido pelo Sind-UTE/MG nos últimos 10 anos – contou com a participação de cerca de 2.000 pessoas. Foto da mesa oficial de
abertura.


A VI Conferência Estadual de Educação, ocorrida em Caxambu, nos dias 18, 19 e 20 últimos foi o maior evento já realizado pelo Sindicato dos Trabalhadores Únicos da Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) dos últimos 10 anos – em número de palestrantes e participantes (1.926 delegados/as), vindos de todas as regiões de MG. Ao encerrar os trabalhos da Conferência, a coordenadora geral do Sindicato, Beatriz Cerqueira, comemorou o sucesso do evento. “Saímos todos fortalecidos da Conferência – os diretores, os filiados, enfim, cresce o Sind-UTE/MG como um todo, e a categoria das redes estadual e municipais”, destacou.
A coordenadora explicou porque o Sindicato optou por realizar o evento. “Foi uma opção da direção do Sind-UTE/MG o investimento na Conferência para trazer e submeter as definições políticas e pedagógicas para a análise da categoria. Também representa um instrumento estratégico de organização e aglutinação da categoria rumo à campanha salarial, que será finalizada na nossa assembléia estadual nesta quinta-feira, 24 de fevereiro, no pátio da ALMG”, afirmou Beatriz Cerqueira.
Mesas Temáticas
Vários temas pedagógicos foram definidos para discussão em grupos, que aconteceram paralelamente. Em cada um, profissionais de renome discorriam sobre o assunto. “Os desafios da Educação Básica”, contou com a participação da Samira Zaidan, professora adjunta da UFMG/FAE – Faculdade de Educação. Em sua fala destacou que nada de decisivo está sendo feito de um dia para outro. “Somos atores dessa história, vivemos um momento de transformação peculiar porque os sujeitos que discutimos e queremos formar são pessoas da nossa mente, queremos que eles sejam democráticos, solidários e a sociedade não é solidária, por isso, trata-se de uma construção social e individual”, explicou a doutora em Educação pela UFMG em 2001.
Outro grupo abordou o tema “Educação, Gênero e Sexualidade”, que teve como palestrantes o secretário de Direitos Humanos da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), José Carlos Bueno do Prado, o Zezinho, e a secretária de Relações Internacionais da CNTE, Fátima Aparecida da Silva. Ela informou que os cerca de 200 pessoas que participaram desse grupo revelaram angústia em trabalhar esta questão, que é cercada de valores éticos, religiosos, morais, mas por outro lado, é também de políticas públicas. Outra preocupação diz respeito ao preconceito em torno do assunto. “Apesar de termos avançado em políticas públicas – o governo federal implantou vários Programas -, o preconceito ainda permeia a questão como um todo. Mesmo diante dessa realidade percebi que a grande vontade dos professores em aprender novos termos, conceitos e um apelo à repetição da discussão do tema – este é o caminho que temos a seguir para vencermos os obstáculos”, afirmou Fátima Aparecida da Silva.
“Apesar de parecer que são muitos os recursos destinados à educação, eles ainda representam pouco frente aos desafios que temos que superar” – a avaliação é do secretário do Ministério da Educação, professor Francisco Chagas. Ele fala no grupo Financiamento e Educação. Segundo o professor os desafios da educação básica para o próximo período não são poucos, um deles diz respeito ao financiamento – apesar de termos atingido 5% do Produto Interno Bruto (PIB), precisamos ir além. Citou a valorização dos profissionais, que para ele consiste em salário, carreira e formação, e reforçou que o Piso Nacional, apesar de ser conquista, se desdobre na carreira e tenha ganho real. “Esperamos que a mobilização social e os órgãos de controle funcionem e garantam a implementação do Piso dentro do que foi determinado pela lei”, defendeu Chagas.
“Avaliação sistêmica e currículo”, que teve o professor Miguel Arroyo como palestrante foi discutido por outro grupo. Apesar de citar avanços e mudanças ocorridas nas questões do salário, carreira e direitos, cita como desafio a educação ser colocada no campo político dos direitos do cidadão. “Há uma questão que está pendente – se os/as trabalhadores/as da educação e suas organizações se reconhecem sujeitos de direito, nem sempre avançou a mesma consciência de que eles são sujeitos da garantia dos direitos dos educandos. Se nós somos sujeitos de direito é porque a educação é um direito – não só nosso, é um direito dos educandos, dos filhos dos trabalhadores populares que estão nessas escolas – nisso acho que falta avançar”, destacou.
Aconteceram outras mesas temáticas como “Educação e Relações étnico-raciais, que contou com a pedagoga Rosa Margarida de Carvalho Rocha, a presidente do SINTEGO, Ieda Leal de Sousa e o doutor em educação pela FAE/UFMG, José Eustáquio de Brito.
“Tempo e a condição docente” foi tema de outra mesa temática, que teve a professora da FAE/UFMG, Inez Teixeira como palestrante. Já o tema “Gestão Democrática” contou com a participação do diretor estadual do Sind-UTE/MG Betim, Luiz Fernando de Souza Oliveira e Mônica Maria de Souza. “Violência no espaço escolar: um desafio social”, tema polêmico foi abordado pelo professor da UFMG, Walter Ernesto Ude Marques, conselheiro tutelar de Betim, Washington Luiz Freitas Silva Moreira, a defensora pública Roberta de Mesquita Ribeiro e o promotor de justiça, Sérgio Fernando Harfouche.
Outros temas abordados foram: “Currículo, Ensino Médio, Juventude e Trabalho”, do qual participaram o mestre em educação pela UFMG Juarez Tarcísio Dayrel, além da secretária de Organização da CNTE e diretora estadual do Sind-UTE/MG, Marilda Abreu de Araújo e a doutora em educação Áurea Regina Damasceno; e “Saúde do Trabalhador e condições de trabalho”, tema que teve a explanação da psicóloga Margareth Diniz, da pedagoga Jussara Bueno de Queiroz Paschoalino e da fonoaudióloga Iara Barreto Bassi.
A mesa geral “A organização dos trabalhadores em educação” contou com o ex-ministro e professor Luiz Soares Dulci e o presidente da CNTE, Roberto Franklin Leão. O presidente Leão sugeriu uma reflexão sobre o processo de organização dos/as trabalhadores/as em educação – a importância de se trazer os jovens para o sindicalismo. “Precisamos evidenciar aos jovens o significado e a força da organização coletiva da categoria, o que pode fazer mudanças estruturantes na sociedade brasileira, na luta dos trabalhadores e na melhoria da qualidade da educação pública”, defendeu.
Por sua vez, Dulci, que é um dos fundadores da então UTE, ressaltou a importância da organização da categoria que, segundo ele nasceu nas greves de 1979, desde quando vem se fortalecendo. Citou o Piso como conquistas e afirmou que a lei prevê complemento do governo federal no caso de estados pobres ou com dificuldades financeiras. Apesar de reconhecer que existem vários desafios, se mostrou otimista. “Um alento financeiro para a educação é o pré-sal, que teve a criação de um Fundo Social aprovado pelo Congresso Nacional, sendo 50% destinados à educação no Brasil. Acredito que a medida representará uma verdadeira cruzada em prol da educação”, informou.
Cartilha: Igualdade faz a diferença
O secretário nacional de Formação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), José Celestino, o Tino lançou, durante a Conferência, a cartilha Igualdade faz a diferença, publicação que traz uma verdadeira fustigação ao debate de uma questão muito importante para a nação brasileira. Tino citou duas questões fundamentais para se enfrentar o racismo – consciência e conhecimento, pontos priorizados na publicação. “È importante que as pessoas tomem consciência da importância da existência de um país realmente democrático, com democracia plena – um país onde não haja racismo, principalmente no Brasil, composto por 51% de negros e negras e que, historicamente, nega esse racismo”.
O cutista cita a lei 10.639, sancionada por Lula em julho de 2010, que veio para combate o racismo no interior da escola. Segundo ele é preciso que educadores, gestores, alunos conheçam a importância do povo africano, negro, na constituição da identidade nacional, da economia nacional e, nesse sentido, sabemos por pesquisas, já comprovadas, que muitas escolas se negam a implementar essa lei. Por isso a cartilha da CUT, como outras publicações, como da própria CNTE vem nesse sentido, de orientar diretrizes pedagógicas que devem ser trabalhadas para que todos conheçam a cultura negra, a luta dos negros no Brasil e a sua contribuição na história brasileira.
Políticos e autoridades
A abertura da VI Conferência Estadual de Educação, no dia 18 de fevereiro, no Hotel Glória, em Caxambu, evento realizado pelo Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG) foi concorrido. A mesa de abertura contou com a participação da secretária de estado da Educação, Ana Lúcia Gazolla, deputados estadual, Rogério Correia, e federal Padre João, Secretária de Assuntos Internacional da CNTE, Fátima Aparecida Silva, representante da Internacional de Educação, Combertty Rodrigues, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin Leão, presidente da Central Única dos Trabalhadores de MG, Marco Antônio de Jesus, além de representantes do movimento sindical, presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual, Fiscais e Agentes Fiscais de Tributos do Estado de Minas (Sindifisco/MG), Lindolfo Fernandes e o presidente do Sindicato dos Auditores Fiscais e dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte e Montes Claros (APUB/BH), José Siqueira. Todos saudaram os participantes, desejando avanço nas discussões e fortalecimento da categoria.
O presidente da CUT, Marco Antônio de Jesus destacou a importância da unidade por acreditar que 2011 será um ano de muitas lutas e enfrentamentos. Por sua vez, o deputado estadual Rogério Correia reforçou apoio à categoria na Assembleia Legislativa. Já o deputado federal Padre João se colocou à disposição na Câmara Federal como canal de interlocução da categoria junto ao governo federal. Ele revelou satisfação em participar do evento e citou a CNTE e seus respectivos sindicatos como exemplo para a América Latina. O membro da subsede Caxambu, Cássio Hidio destacou que 2010 ficará na história da categoria como sendo um divisor de água, que passou o ensinamento da importância da unidade para o fortalecimento da categoria.
O presidente da CNTE, Roberto Franklin Leão, falou da postura combativa do Sind-UTE/MG, que desde a época da UTE ajudou a criar a Confederação. “Assim como a CNTE, o Sind-UTE/MG luta pela defesa da escola pública e pelo ensino de qualidade social.” Leão citou a importância da implantação do Piso Salarial Profissional Nacional e pediu empenho à secretária Gazolla para rever a questão junto ao governo mineiro. A secretaria se apresentou como professora e mostrou disposição em inaugurar uma nova fase, revelando empenho para avançar na educação, além de prometer transparência nas ações.
A coordenadora geral do Sind-UTE/MG, Beatriz Cerqueira afirmou, na oportunidade, que a VI Conferência Estadual de Educação é o maior evento do Sindicato nos últimos 10 anos.
Na sequência aconteceu a conferência de abertura com o dominicano e escritor Frei Betto, que abordou com clareza e firmeza, o tema Mídia e Educação. “É importante a escola levar para dentro das salas de aula imagens de TV, da Internet e defendeu que os adultos devem educar os alunos com um olhar crítico capaz de debater telejornais, propagandas, anúncios diversos, dentre outros assuntos. Esse trabalho começa com a formação de professores e a consciência de que a escola é um laboratório político”, frisou.
Homenagens e aprovações
Foram apreciadas em plenária as sugestões e ações propostas por cada um dos cinco grupos que discutiram diversos assuntos. Também foram aprovadas duas moções – uma em prol do povo do Egito na luta pela democracia e, a outra, que repudia o aumento do salário dos parlamentares e a pequena valoração do salário mínimo.
Os integrantes do departamento de Formação: Mônica Maria de Souza, José Luiz Rodrigues, Andresa Aparecida F. Rodrigues, Luiz Fernando de Souza Oliveira e Feliciana Saldanha receberam da coordenadora geral do Sind-UTE/MG uma homenagem simbólica em agradecimento pelo empenho e dedicação com que se debruçaram em janeiro, mês de férias para elaborarem a referida Conferência.
Beatriz Cerqueira também agradeceu a equipe da subsede Caxambu, cicerones do evento. A coordenadora daquela subsede, criada em 2009, Mauricéa Vanja Neves Rocha falou da alegria de ter contribuído para a realização da Conferência. “Ela resgatou a discussão pedagógica da nossa área e, ao mesmo tempo, o Sindicato mostrou que estamos organizados para fazermos uma campanha reivindicatória, por melhores salários, além de estarmos amadurecidos para discutir educação e seus problemas,” disse.
Luiz Fernando de Souza Oliveira relata com satisfação o resultado da Conferência. “O evento superou expectativas de público, veio ao encontro de anseios de todos que estão na escola. Foram discutidos temas e elaboradas propostos a respeito de questões que afligem muito os/as trabalhadores/as no chão das escolas. Tratou-se de uma construção, já que todas as linhas e forças políticas foram contempladas.”
O coordenador do departamento de Formação, José Luiz Rodrigues entende a Conferência como um marco para essa gestão. “O evento superou a realização de eventos dos últimos 10 anos, em número, na questão de educação básica ligada ao PNE, e a organização dos trabalhadores propriamente dita. A presença de representantes da CUT, CNTE, Internacional da Educação demonstra prestígio. A figura da secretária Gazolla significa o reconhecimento da importância da organização do Sind-UTE. Tudo isso aliado ao debate da luta salarial se traduz em força e vigor da nossa categoria, que prima pela livre organização dos trabalhadores nos seus espaços de trabalho.

Thiago Joel Estevam

Fonte:
http://www.noticiasdeitauna.com.br/2011/02/24/sind-utemg-realiza-vi-conferencia-estadual-de-educacao/

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Storwofolia - Carnaval - 2011

Storwofolia lança novos pacotes para o carnaval de Caxambu

Devido a grande procura por pacotes de menor duração, e para agradar o maior número de pessoas, o Bloco do Storwo criou novos pacotes para este carnaval.
A relação com os novos pacotes foi publicada no site oficial do Bloco Storvo e já estão à venda.
Veja mais detalhes aqui:

Câmara Municipal de Caxambu

Situação no bairro Vila Verde III 
Vereadores encaminham requerimento ao prefeito
VALAS EROSIVAS
Rua Sucupira, Vila Verde III
 Devido o abandono nas obras do calçamento no Bairro Vila Verde III, na Reunião Ordinária desta segunda-feira dia 21/02/2011, indignados com o estado em que se encontram algumas das ruas do referido Bairro, os vereadores subscreveram o requerimento sugerido pelo Vereador Arnaldo Ribeiro, para que possa ser esclarecido a todos os motivos  da paralisação total nas obras do calçamento, visto que os recursos da ordem de R$167.000,00 ( cento e sessenta e sete mil reais) se encontravam disponíveis,. Esta informação consta na resposta do Prefeito Municipal em seu Ofício nº 632/2010, enviado para o Vereador Sgt° Vicente de Paula, cuja resposta trás ainda uma responsabilidade por parte da empresa de não ter concluido o tão sonhado calçamento. As valas erosivas em que se tranformaram as guias das ruas. passam a ser um retrato do desrespeito aos moradores
 
Prolongamento da Rua Scupira, Vila Verde III


Fonte: Câmara Nova
http://camaranovacaxambu.blogspot.com/
 
APAC comemora o sucesso 
da campanha de adoção 
de animais

Veja as fotos de alguns animais adotados e seus novos proprietários












 Fonte APAC

Visite o blog da APAC e conheça alguns animais disponíveis para adoção

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Esportes

Atletas de Caxambu

 Como diz o velho ditado:
Filho de peixe, peixinho é....

Sem muitas delongas, acho que as imagens falam por si...
Dá pra ver o orgulho de um Pai e a alegria de um filho
Esporte é isso, tá na hora de parar de brincar e levar o esporte a sério. Tmos muitos atletas de talento se perdendo, porque ainda se brinca de fazer esporte por aqui...
Afinal. 2016 está chegando. Aí,  quem sabe, pederemos um legitmo filho de Caxambu brilhar ...

Nelsão e Nelsinho
                                 Fonte: http://esportesdecaxambumg.blogspot.com/
Esportes de Caxambu - MG
O Blg caxambuense de todos os esportes.
Vamos prestigiar!
COLUNA SERGIO LEVENHAGEN on line


" Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo"
  #  Não vou entrar numa polêmica com alguns hoteleiros  sobre essa questão de enviar congressistas para a cidade de São Lourenço, enquanto que a lógica era ficarem aqui em Caxambu nos pequenos e médios hotéis . Como isso já passou, não sei se vai acontecer outras vezes, já que não sou o defensor dos "fracos e oprimidos" - porque quem o foi no passado, ou morreu crucificado ou morreu queimado na inquisição. Então, sendo assim, "em briga de jacú o nhambú não entra", a gente vai tocando Caxambu do jeito que dá - e como num tá dando, haja vista que o maior empregador aqui é a Prefeitura Municipal - fato típico de cidades pobres sem recursos, como em dezenas do nordeste brasileiro. Aí eu fico pensando, olhando para o meu neto de 3 anos; você Vitor, quando crescer, também vai ter que rachar fora daqui? Porque "Caxambu é uma ótima madrasta e uma péssima mãe" e até parece que tem um burro enterrado aqui, que a cidade não desenvolve.
 # Prá voce ser uma pessoa que defende a nossa cidade não precisa ter nascido aqui e nem se criado aqui, e nem tão bairrista como alguns são, e nem gritar pros quatro cantos que AMA CAXAMBU, QUE CUIDA,QUE TEM ISSO E AQUILO,  porque todos que fizeram isso noscolocaram nessa lamentável situação, onde já brota o desespero do desemprego. Caxambu é uma ótima cidade prá trabalhar(se tivesse trabalho), prá viver, prá criar os filhos, envelhecer e até morrer, ora, por que não? 
A criminalidade aqui aumentou assustadoramente, jovens viciados em crack então, nem se fala... O Allcoolismo caminha a passos largos igual prefeito depois de eleito, que foge do povo, mas isso é uma outra história..
Como dizia Oscar Wilde; " Missionário é  uma pessoa decidida a reformar o mundo, quer este queira ou não". 
A gente volta com saudações TRIcolores
Sergio Levenhagen.

Prevenção

Arantes lança projeto de lei para criar um Fundo Estadual Anti-Catástrofes
Um dos grandes objetivos  é evitar tantas  mortes em épocas de chuva



O deputado estadual Antônio Carlos Arantes (PSC) entrou com um projeto de lei na Assembleia de Minas, que prevê um conjunto de ações para tentar prevenir e identificar iminentes riscos de desastres naturais dispostos em um sistema metodológico desenvolvido pelo Governo de Minas com a finalidade de evitar tragédias, calamidades públicas e estados de emergência. De acordo com o projeto, ficaria autorizado ao Poder Executivo a constituição de um Fundo Estadual Anti-catástrofes com o objetivo de conseguir recursos para equipamentos de meteorologia, equipamentos para sistema de alarme para conscientizar a população que vive em áreas de maior risco, equipamentos sonoros para mobilizar rápidas evacuações, materiais educativos de procedimentos em situações de emergência, entre outras medidas. A justificativa de Arantes tem fundamento. Segundo ele, todo começo de ano as cenas trágicas de catástrofes e desastres naturais se repetem como as chuvas que assolaram o Sul de Minas e nas serras da região serrana do Estado do Rio de Janeiro.
Os recursos seriam oriundos de dez fontes ao total, entre elas 2% dos retornos relativos a principal e encargos de financiamentos concedidos pelo Fundo de Saneamento Ambiental das Bacias dos Ribeirões Arrudas e Onça; 30% providentes da transferência do saldo dos recursos não aplicados pelas empresas concessionárias de energia elétrica e de abastecimento público que demonstrem, na forma que dispuser o regulamento desta Lei; 10% da cota destinada ao Estado a título de compensação financeira por áreas inundadas por reservatórios para a geração de energia elétrica, conforme o disposto nas Leis Federais 7.990, de 28/12/89 e 8001 de 13/03/90; 10% do Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais-Fidro, criado pela lei
Só em Minas Gerais em 2011, 84 cidades decretaram situação de emergência com um saldo de 17 mortes, 17.140 pessoas desalojadas e mais 2.360 desabrigadas. Foram soterramentos, enxurradas e desabamentos que poderiam ser evitados se as cidades estivessem adequadamente preparadas para os períodos de chuva. “É preciso que haja uma vontade política, tentaremos aprovar este projeto, porque se tornará um viés facilitador para que Estado e municípios de Minas possam se prevenir com ações e com investimentos, a fim de evitar as tragédias que vimos no início deste ano”, salientou.
Caso seja aprovada a lei, o Estado terá mecanismos mais organizados para prevenção e alerta nas ações de identificação de áreas de risco, para fazer levantamentos geológicos para mensurar quais localidades e terrenos tem mais probabilidade de deslizamento.
A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil explica que cada município é responsável por fazer estes levantamentos de áreas de risco, entretanto, nem todos o fazem. No Estado, 667 dos 853 municípios têm Defesa Civil, no entanto, só 200 funcionam efetivamente. Antônio Carlos acredita que se houver a implantação deste sistema estadual para prevenção e alerta de catátrofes e desastres, em cinco anos é possível erradicar mortes, por exemplo, em função de deslizamentos.
Conforme descreve o projeto, há uma preocupação com relação às áreas ocupadas de maneira desordenada. “Minas tem que sair na frente e dotar seus próprios mecanismos de prevenção e alerta de forma a proteger o seu povo e a sua gente. Prevenir para não remediar. Planejamento é a palavra-chave para conter a expansão desenfreada das cidades. Para evitar a ocupação desordenada, seja às margens de rios ou em encostas.” 
O deputado ponderou que os investimentos em reconstrução ficam muito mais caro e que integrantes de vários setores do Governo fariam parte de uma equipe para compor o grupo coordenador do Fundo citado como membros de Secretarias do Gvoerno, do BDMG, da CEMIG, da COPASA, da Cruz Vermelha, da Polícia Militar, do Ministério Público e do Tribunal de Justiça.
           
  INICIO DE ANO NA FACULDADE VICTOR HUGO
    
A Faculdade Victor Hugo iniciou seu ano letivo  com mais um curso: Administração.
    Novas  turmas dos Cursos de Graduação (EAD) com a Universidade Braz Cubas também iniciaram, como:  Gestão de Negócios, Serviço Social, Ciências Contábeis e  Gestão Ambiental.
    Muitas  Pós-Graduação Lato Sensu também começaram:     MBA  em Gestão Competitiva e Inteligência em Negócios, Gestão e Análise Ambiental, Gestão Escolar, Administração Hospitalar, Extensão em Libras e outros.
    Segundo a  Prof.ª Leila Rubinsztajn Direzenchi, diretora pedagógica da Faculdade Victor Hugo, foi com muita satisfação que os alunos chegaram de várias cidades como Carmo de Minas, São Lourenço, Soledade, Virgínia, Caxambu, Baependi, Soledade, São João Del Rey, São Tomé das Letras, Alfenas, Itajubá, Pouso Alto, Passa Quatro, Carmo de Minas, Serranos, Alagoas,  Itamonte, dentre tantas outras cidades, uma vez que a Faculdade Victor Hugo oferece cursos de graduação, Extensão  e Pós Graduação  que são inovadores em nossa região.
 "No primeiro dia de aula os alunos chegaram preparados para seus respectivos cursos, entusiasmados, motivados e cheios de expectativas e confiança para novas e significativas aprendizagens", disse  Leila.



FACULDADE VICTOR HUGO NO CONGRESSO INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA


    A Professora da Faculdade Victor Hugo Cristiane Rada, esteve presente no Congresso Internacional de Pedagogia em Cuba (Havana), para a apresentação de sua pesquisa " Objeto de Aprendizagem: Novo Paradigma Educacional apoiado por computador" .
    Sua participação foi de grande importância, pois um dos temas principais do Congresso: A Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) na Educação, vem de encontro com o que já desenvolve na área de Comunicação, Educação e Tecnologias com os alunos do curso de Pedagogia da Faculdade Victor Hugo e na modalidade com os cursos a distância da Universidade Braz Cubas que acontecem na Faculdade Victor Hugo.