Palace Hotel - Caxambu

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

CAXAMBU SEDIARÁ  A IV Exposição Nacional de Orquídeas da CAOB (Coordenadoria das Associações Orquidófilas do Brasil)

 
 
 
A Exposição Nacional de Orquídeas que está em sua 4ª edição, e vem levando o nome de Caxambu pelo país afora.
Com entrada gratuita, o evento espera receber cerca de de 200 colecionadores, de mais de 30 associações orquidófilas dos Estados como São Paulo e interior, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Minas Gerais, Santa Catarina, Espírito Santo, Goias, participarão da exposição.
Os visitantes poderão, ainda, apreciar uma belíssima exposição com cerca de 1000 plantas de coleção, participar de cursos gratuitos e apreciar belíssimas orquídeas que vão desde pequenas mudas até plantas adultas floridas. Outros destaques serão orquídeas nativas com flores que vão de 10 centímetros até as micro-orquídeas, com cerca de um centímetro.
 IV Exposição Nacional de Orquídeas de Caxambu, 
de 11 a 13 de Novembro de 2011, na Praça 16 de Setembro – centro. 

Programação: 
DIA 11: Sexta-feira
09h às 12h - Recebimento de plantas
12h às 17h – Julgamento pela CAOB
20h – Abertura Oficial
20h às 21h – Visitação pública

DIA 12: SÁBADO
09h às 21h – Visitação pública
16h – Curso sobre Orquídeas

DIA 13: DOMINGO
09h às 17h – Visitação pública
10h – Curso sobre Orquídeas
15h – Entrega dos Prêmios
17h – Encerramento
 
Estes eventos vem contribuindo para o desenvolvimento  do turismo de nossa cidade, em sua 4ª edição já faz parte do calendário de eventos do MINISTÉRIO DO TURISMO DO GOVERNO FEDERAL.acesse no link abaixo.

Atenciosamente,
Acorcax - Associação Caxambuense de Orquidófilos

"CHUPA CABRA" É ENCONTRADO EM CAIXA ELETRÔNICO EM CAXAMBU

A Polícia Militar compareceu em em uma agência bancária do Banco Santander (antigo Banco Real) localizado na Rua João Pinheiro, Centro, Caxambu, onde o Coodenador Bancário de 26 anos, relatou que ao efetuar serviços bancários, constatou que um caixa eletrônico havia sido adulterado, sendo encontrado um dispositivo conhecido popularmente como "chupa-cabra".

O gerente do banco compareceu ao local e verificou junto a guarnição policial o sistema de monitoramento, em que ficou constatado a presença de dois supeitos, um homem gordo, negro, trajando camisa listrada e bermuda xadrez, levando consigo uma mochila de cor preta; e outro de pele clara, barba rala, trajando camisa clara e calça jeans.

O gerente transmitiu os fatos à empresa responsável pelo monitoramento e relatou que não seria possível, no momento, verificar se houve ou não clientes lesados e entregou a guarnição um notebook adaptado e sem carcaça, imitando a tela do terminal eletrônico, acoplado ao leitor de cartão magnético, o qual foi encaminhado para a Delegacia de Polícia.
 
Fonte: Jornal Polêmica

Vídeo: Dilma + System of a Down


 Colaboralçao de Sandra Amaral

Campeonato Regional Sub 11

Resultados da 2ª rodada...

Na rodada realizada em Passa Quatro, houve uma chuva de gols e os resultados foram bem expressivos, confira...




                                       2ª Rodada – 29/10/2011                 

06 – Horário - 10h00 SÃO LOURENÇO 02 X 02 CRISTINA                 
16 – Horário - 10h40 CARMO MINAS 02 X 02 ITAMONTE   
12 – Horário - 11h00 PASSA QUATRO 03 X 02 SERITINGA
LOCAL:  PASSA QUATRO

Amanhã publicaremos a ficha técnica da rodada e os artilheiros


Confira  a  classificação

Veja a classificação como ficou...



Grupo A
CLASSIFICAÇÃO
P
J
V
E
D
GP
GC
SG
%
1
São Lourenço
04
02
01
01
00
10
02
08
67
2
Cristina
04
02
01
01
00
05
02
03
67
3
Carmo de Minas
01
01
00
01
00
02
02
00
50
4
Itamonte
01
02
00
01
01
02
10
-08
17
5
Pouso Alto
00
01
00
00
01
00
03
-03


00



Grupo B

CLASSIFICAÇÃO
P
J
V
E
D
GP
GC
SG
%
1
Fluminense
03
01
01
00
00
03
01
02
100
2
Passa Quatro
03
02
01
00
01
04
05
-01
50
3
Caxambu
00
00
00
00
00
00
00
00
00
4
Seritinga
00
01
00
00
01
02
03
-01
00





"Se todas as batalhas dos homens se dessem apenas nos campos de futebol, quão belas seriam as guerras"
 
 Waldir

domingo, 30 de outubro de 2011

Charge da semana

Eu vim para confundir
e não para explicar....

               
Deixe seu comentário

Guerra Santa em Caxambu


Poluição sonora provocada pela queima de fogos de artifício no dia 12/10-2010, em Caxambu/MG. A Lei 7.302/1978, do Estado de Minas Gerais, em seu Art. 3º, deixa claro que "são expressamente proibidos, independentemente de medição de nível sonoro, os ruídos (...) VI - provocados por bombas, morteiros, foguetes, rojões, fogos de estampido e similares". Durma-se com um barulho desses...


sábado, 29 de outubro de 2011

Tve Show - Paulo Gil






TVE calouros - Com Paulo Gil - o cara mais legal do Brasil


Caxambu - galeria de fotos

Palace Hotel -  nova iluminação

 Acidente interdita parcialmente 
rodovia Rio- Caxambu



Um tombamento de carreta registrado no início da madrugada de hoje (29), na Rodovia Rio-Caxambu (BR-354), no alto da Serra, interditou parcialmente a estrada para o tráfego de veículos pesados.

De acordo com informações da PRF (Polícia Rodoviária Federal), o acidente aconteceu no Km 764, um quilômetro a frente da divisa dos estados do Rio de Janeiro (Engenheiro Passos) e Minas Gerais (Itamonte). A carreta estava carregada com rolos de filme plástico e a carga derramou na pista. Não há informações sobre vítimas.

Devido ao acidente, no local só é permitida a passagem de carros e veículos leves. Para ônibus, caminhões e carretas, o tráfego no local está proibido.

Ainda de acordo com a PRF, não há previsão para liberação total da rodovia. A alternativa para os motoristas que seguem em direção ao Sul de Minas é passar por Cruzeiro, no estado de São Paulo.

Fonte: Diário do Vale
http://diariodovale.uol.com.br/noticias/5,48184,Acidente-interdita-parcialmente-a-Rodovia-Rio-Caxambu.html#axzz1cBLt6l4m

Campamha: É tempo de dizer: BASTA!


SE VOCÊ CONCORDA., COMPARTILHE




http://www.facebook.com/photo.php?fbid=1565204826201&set=o.149873715100352&type=1&theater

Superuniversidade: Ifes entregam ao MEC propostas para a criação do consórcio

 


As propostas para a instituição do consórcio das universidades federais sediadas nas regiões sul e sudeste de Minas foram entregues ao ministro da Educação, Fernando Haddad (foto), em evento nesta segunda-feira, dia 25, no auditório do Ibama, em Belo Horizonte. Essas propostas constituem o Plano de Desenvolvimento Institucional do Consórcio (PDIC), que contém os objetivos e as diretrizes das universidades consorciadas para o quinquênio 2011-2015. O documento também foi repassado ao governo de Minas, representado pelo secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evaldo Ferreira Vilela.

A cerimônia reuniu os reitores das sete universidades que integram o consórcio e diversas autoridades. Estiveram presentes os reitores Luiz Cláudio Costa, da UFV, coordenador do consórcio; Henrique Miranda Chaves, da Federal de Juiz de Fora; Renato de Aquino Faria Nunes, da Federal de Itajubá; Paulo Márcio de Faria e Silva, da Federal de Alfenas; Antônio Nazareno Mendes, da Federal de Lavras; Helvécio Luiz Reis, da Federal de São João del Rei; e João Luiz Martins, da Federal de Ouro Preto.

Vantagens

Com a institucionalização do consórcio será possível a integração acadêmica nas áreas de ensino, principalmente no que se refere a mobilidade estudantil, pesquisa e extensão. Outra vantagem dessa atuação conjunta será a conquista de maior eficiência na captação e aplicação de recursos, e o estabelecimento de parcerias para atuação nas áreas de inovação e novas tecnologias e desenvolvimento social e em outras áreas estratégicas, visando ao desenvolvimento institucional e à capacidade de apresentar propostas para a solução de problemas sociais de Minas e do País.

O reitor Luiz Cláudio, ao fazer a apresentação do consórcio ressaltou os avanços conquistados no setor nos últimos anos, destacando o acerto da atuação do ministro Fernando Haddad na valorização do ensino superior. Não é possível desenvolver de acordo com as potencialidades do País sem uma educação bem planejada e bem qualificada, pensando estrategicamente. Como salientou, na atualidade é possível às universidades pensar estrategicamente em seu papel de estado, apesar de algumas fragilidades que estão sendo corrigidas. Nesse contexto, a criação do consórcio vem constituir uma proposta inovadora, no Brasil e no mundo, que pode alterar a maneira de se fazer a educação superior e de fazer com que essa educação interaja com a sociedade. A construção do consórcio é o produto de reflexões que serão intensificadas a partir de agora, em seminários e fóruns de discussão nas comunidades acadêmicas, de acordo com as especificidades de cada uma delas, sempre com a participação da sociedade. Em especial, lembrando-se que as universidades brasileiras têm muito a dizer sobre o momento por que passa o Brasil, em sua afirmação como centro importante de produção científica e como economia de destaque mundial.

A presidente da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais, Luiza Lafetá, falou sobre o grande significado da educação superior para o País e manifestou a esperança de que o consórcio entre as universidades venha a se concretizar com sucesso.

Para o secretário adjunto Evaldo Vilela, o governo mineiro considera muito positiva a implementação do consórcio, pois fará com que a união dessas universidades, muito competentes em suas ações, elevar seu patamar de influencia e contribua decisivamente para a geração do conhecimento e a criação de empregos. Como disse, o governo de Minas tem o projeto de tornar o estado líder na economia do conhecimento e o fortalecimento das universidades é fundamental, não apenas na formação de profissionais, mas influenciando diretamente o desenvolvimento do País, tornando o sistema produtivo mais competitivo. Outra vantagem dessa união, lembrou Vilela, é possibilitar à Fapemig a concretização de um fomento de qualidade, que envolva pesquisadores e empresas na geração do conhecimento, tornando-as mais competitivas e eficientes.

O ministro Fernando Haddad mostrou-se amplamente favorável à constituição do consórcio, qualificando-o como mecanismo para a superação de uma defasagem entre a crescente importância do Brasil na produção científica mundial e o posicionamento ocupado pelas universidades brasileiras entre suas congêneres em outros países. Para ele, o consórcio representa a oportunidade para que se modifique positivamente esse quadro, com instituições de excelência que produzem conhecimento, formam recursos humanos e atuam em suas comunidades, pois seu fortalecimento interessa à sociedade e ao País. Os indicadores apresentados pelo consórcio, quando se fala de sua produção científica e no número de docentes, estudantes e funcionários técnico-administrativos já o credenciam a uma posição de destaque, criando um caldo de cultura muito propício a potencializar a excelência acadêmica de cada uma dessas instituições.

O que representa o consórcio

O Consórcio reúne 239 cursos de graduação, oferece mais de 13 mil vagas e atende a mais de 48 mil alunos matriculados na graduação presencial. Na pós-graduação, oferece 145 programas, sendo quatro com conceito 7, máximo definido pela Capes, três com conceito 6 e outros 20 com conceito 5, todos considerados de excelência. São mais de três mil alunos de mestrado e 1.700 de doutorado. As sete universidades reúnem 4.390 docentes e 5.968 técnicos administrativos.

Mobilidade acadêmica

Implantação da matrícula cruzada para permitir que alunos façam disciplinas entre as consorciadas; realização de treinamentos em novas tecnologias de pesquisa e ensino; formação de um banco de assessores e consultores; troca de experiências e contribuição para capacitar pessoal de outra instituição. Outro ponto de convergência é a criação do Centro de Estudos Avançados, uma estrutura presente em grandes academias e fundamental para pensar estratégias para a ciência, ensino e cultura.

Assistência Estudantil

Para possibilitar que os alunos se matriculem interinstitucionalmente em uma das setes universidades a serem consorciadas, o grupo de Assistência Estudantil está desenvolvendo políticas que viabilizem esses trâmites inclusive para aqueles discentes que possuem vulnerabilidade socioeconômica. A Assistência é a responsável por ser gestora dos equipamentos sociais que garantem a permanência dos alunos no ensino superior.

Vestibular e Graduação

Uma das mudanças mais significativas propostas é a uniformização do processo seletivo entre as sete consorciadas. Além disso, será sugerida a criação de um Núcleo de Estudos Pedagógicos, que dentre outras funções, analisaria a criação de novos cursos nas diferentes áreas do conhecimento relacionado as potencialidades das diversas regiões das instituições. As universidades consorciadas pretendem ainda criar cursos curso de Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia e em Artes e Design com ciclos complementares profissionalizantes.

Pesquisa e Pós-Graduação

As consorciadas pretendem criar um Centro de Estudos Avançados visando à integração, ao fortalecimento e à expansão da pesquisa e da pós-graduação e a melhoria da inserção internacional da pesquisa brasileira. Pretende-se ainda criar programas de pós-graduação compartilhados em áreas estratégicas e mecanismos de cooperação entre os programas. As universidades também pretendem desenvolver projetos e formação de núcleos de estudos prioritariamente nas áreas de nanotecnologia, bioenergia, biodiversidade, meio ambiente, sustentabilidade, fitoterápicos e educação. Deverão ser criados centros de pesquisa em áreas estratégicas compartilhando infraestrutura de laboratórios.


Extensão e Cultura

A proposta é realizar através de um corredor cultural, a circulação e intercâmbio de grupos e artistas das universidades. Pretende-se também unir esforços para realizar projetos de extensão nas áreas de gestão de resíduos e de ações voltadas para políticas públicas.

Localização geográfica

A iniciativa pioneira da criação do Consórcio das Universidades do Sul-Sudeste de Minas Gerais surge da constatação de que essas instituições apresentam características comuns e complementares que facilitam sua associação. A localização geográfica e a proximidade entre elas é fator preponderante para a criação do Consórcio, uma vez que esta é a única região do Brasil que possui sete universidades separadas por um raio de cerca de 200 quilômetros. Além disso, segundo dados do Ministério da Educação, todas as instituições oferecem cursos de qualidade. Os cursos de graduação estão bem situados no Índice Geral de Cursos (IGC) com valores entre quatro e cinco, e pós-graduação avaliada como excelente pela Capes, inclusive em nível internacional.

A proposta prevê ainda uma estrutura administrativa para o Consórcio. Instituições de incentivo à pesquisa e empresas já demonstraram interesse em financiar programas e projetos compartilhados pelas universidades consorciadas.

As discussões ocorridas até agora definiram, entre outras, as áreas de atuação que serão atribuídas a cada uma das instituições participantes do consórcio. A UFV está com a coordenação geral, cabendo à UFJF os assuntos ligados à pós-graduação. A Unifei encarrega-se da pesquisa; a Unifal, da graduação; a UFLA, do planejamento e gestão; a UFSJ, da extensão e cultura; e a Ufop, da assistência estudantil.

Fonte: Lavras 24 horas
http://www.lavras24horas.com.br/portal/superuniversidade-ifes-entregam-ao-mec-propostas-para-a-criacao-do-consorcio/

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

ANPOCS - Caxambu

Um estigma longe do fim

Apesar das recentes conquistas de direitos no Judiciário, a comunidade LGBT ainda não exerce plenamente a cidadania, afirmam pesquisadores. O tema foi discutido no 35º Encontro Anual da Anpocs, que acontece esta semana em Caxambu (MG).
Por: Célio Yano

Um estigma longe do fim
Bandeira do movimento pelos direitos LGBT. Para pesquisadores reunidos no Encontro Anual da Anpocs, o caminho entre o estigma e a cidadania de minorias sexuais ainda é longo. (foto: Wikimedia Commons/ CC BY-SA 3.0)
Embora comemorada pela comunidade de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT), a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) na última terça-feira (25/10) de autorizar o primeiro casamento civil entre pessoas do mesmo sexo no Brasil avança muito pouco na luta pelo reconhecimento dos direitos do grupo no país.
A avaliação é de pesquisadores que discutiram o tema em fórum realizado na noite de quarta-feira (26/10) no 35º Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), que acontece até o fim desta semana em Caxambu (MG).
Nos últimos anos houve inúmeros avanços no sentido de reconhecer os direitos da comunidade LGBT no Brasil
Para a advogada Rosa Oliveira, da Universidade Federal de Santa Catarina, tanto a decisão do STJ que autorizou o casamento civil entre duas mulheres no Rio Grande do Sul, quanto o reconhecimento, em maio passado, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), da união homoafetiva, não indicam necessariamente uma postura liberal por parte do Judiciário. “A análise dos dois casos foi apenas do ponto de vista constitucional.”
O sociólogo Luiz Mello, da Universidade Federal de Goiás, lembrou que nos últimos anos houve inúmeros avanços no sentido de reconhecer os direitos da comunidade LGBT no Brasil, como a inclusão das minorias sexuais no Programa Nacional de Direitos Humanos 3 e a realização da 1ª Conferência Nacional LGBT.
Fórum da Anpocs sobre direitos LGBT
Da esquerda para a direita: os antropólogos Sérgio Carrara e Regina Facchini, a advogada Rosa Oliveira e o sociólogo Luiz Mello. Fórum no 35º Encontro Anual da Anpocs discutiu os direitos LGBT no Brasil. (foto: Zhekha Amorim/ Anpocs)
Mas, se por um lado o governo estabelece ações de promoção desses direitos, por outro não há qualquer recurso previsto para a execução desses planos. “Nosso país tem as políticas mais avançadas do mundo nesse sentido”, afirmou. “Mas ainda temos que ver gays apanharem na avenida Paulista, em São Paulo, e a proibição de se distribuir um kit anti-homofobia em escolas públicas do país.”
Para Mello, um dos maiores entraves para o fim do estigma e o reconhecimento da cidadania plena da comunidade LGBT está na oposição dos setores religiosos da sociedade ao processo. “Eles estão por todo lado, até aqui”, disse, referindo-se à comunidade de cientistas sociais.

Criminalização da homofobia

No mesmo fórum, o antropólogo Sérgio Carrara, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, tratou do projeto de lei 122/2006, atualmente em tramitação no Senado e que prevê a criminalização da homofobia. Para ele, os opositores do projeto enfraquecem o debate ao condenar o texto alegando que ele restringe a liberdade de expressão. “Nessa linha de pensamento, o mesmo argumento poderia valer, por exemplo, para o crime de racismo, mas esse passo eles não ousam dar.”
Para Regina Facchini, parte da dificuldade que o movimento LGBT tem para conquistar seus direitos está na própria forma de agir
A antropóloga Regina Facchini, da Universidade Estadual de Campinas, acredita que parte da dificuldade que o movimento LGBT tem para conquistar seus direitos está na própria forma de agir. “Na internet, por exemplo, as listas de discussão, que são o principal veículo de informação da comunidade LGBT, estão restritas à própria comunidade, que acaba isolada do restante da sociedade”, argumentou.
A discussão sobre direitos LGBT é apenas uma entre centenas de outras nas áreas da antropologia, sociologia e ciência política que ocorrem desde a última segunda-feira (24/10) no encontro da Anpocs. Nesta edição, o evento reúne cerca de 1.800 participantes de universidades e centros de pesquisa de todas as regiões do país.

Célio Yano*

Ciência Hoje On-line / PR

* O jornalista viajou a Caxambu (MG) a convite da Anpocs

Fonte: Ciência Hoje
http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2011/10/um-estigma-longe-do-fim