Palace Hotel - Caxambu

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Atenção para o novo local de concentração!


NOTA DO HOSPITAL SÃO LOURENÇO

(ASSUNTO: HOSPITAL DE CAXAMBU)

Clique sobre a nota abaixo para ampliar o texto 








Hospital de Caxambu vai para Baependi

Hospital de Caxambu funciona atualmente apenas como posto de pronto atendimento
                                                                                       Foto:  Arquivo jornal Arte3

Reunião depois do carnaval vai decidir se o Hospital entrega ou não o Pronto-Socorro

Durou pouco o sonho do Hospital da Fundação Casa de Caridade de São Lourenço em administrar o Hospital de Caxambu. Foi confirmado agora à noite pelo presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de São Lourenço, vereador Ricardo Enfermeiro, após conversa com o secretário municipal de saúde, Mauro Guimarães, que o Hospital de Baependi assumirá o Hospital de Caxambu. 
Fontes não oficiais informam que uma das decisões que levaram o Hospital de São Lourenço a esfriar o assunto foi a Vigilância Sanitária Estadual. Era intenção do hospital de São Lourenço trazer em um veículo, lençóis, fronhas e outros materiais para serem lavados e esterilizados aqui na cidade. Mas houve um parecer que não permitiu tal operação.
O paciente zero de Caxambu também foi motivo de preocupação do prefeito Jurandir de Caxambu. Aliás o atendimento em si para Caxambu era, digamos, relaxado. Tinham prioridade, entravam sem protocolo de Manchester, mas esbarravam na falta de leitos do hospital. 

A partir de hoje (27/02) está bloqueado atendimento a pacientes de Caxambu pelo Hospital de São Lourenço.
Baependi assim, assume o hospital de Caxambu. O que é mais viável, diga-se de passagem, por estar mais perto de Caxambu. O Hospital de Baependi tem uma estrutura muito boa e possui dentro do seu hospital, ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Pronto Socorro de São Lourenço - Passando o carnaval, mas sem data definida, haverá uma reunião onde estarão sentados de um lado o prefeito municipal, do outro a diretoria do hospital, e na outra ponta, a Câmara Municipal. Segundo o presidente da comissão de saúde da Câmara, vereador Ricardo de Mattos, o Hospital, se não receber o que a prefeitura deve, entrega o Pronto Socorro. 
O prefeito Zé Neto não comenta o assunto e diz que espera tranquilamente a reunião.

Se o hospital de São Lourenço entregar o Pronto Socorro, perde alguns convênios por conta dos mesmos estarem amarrados ao serviço de urgência e emergência prestados. Logo agora que conseguiu ser referência regional de pronto socorro. 

A quaresma começará pesada para alguém em 2014.  

Por Jodil Duarte - São Lourenço News
 

 

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Primeiro São Lourenço, agora Baependi... 
E depois?
Hoje tem marmelada e carnaval, mas não tem hospital


Não dá para brincar com a saúde da população 
Chega de amadorismo e desinformação!

Garota Carnaval 2014 - Paula Melo
(Giro do Wal)

Paula Melo não anda, ela desfila, ela é top e capa de revista! Nossa Garota Carnaval 2014 vem lá de Monte Belo, e com apenas 19 anos esbanja beleza e simpatia!




Veja mais fotos
Acesse o Giro do Wal:
Manifestação em prol 
do hospital de Caxambu

Sábado, 01/03/2014, às 16h, na rua do Hotel Bragança, vai ocorrer a manifestação em prol ao hospital. Há especulações que a despesa de 4 dias de carnaval daria para manter os camilianos durante 6 meses. 
Não podemos nos calar diante de tanta falta de respeito com a população caxambuense. 
O carnaval em Caxambu é uma festa para turistas jovens, um público que não traz tanto retorno para cidade, visto que trazem suas bebidas e, muitas vezes comidas, das cidades de origem. 
Pra que 4 dias de festa, se podemos ter 6 meses de hospital? 




Pintem seus rostos, venham com cartazes! Esperamos por TODOS os caxambuenses. 
Unidos somos mais fortes!!

Compartilhe


Comissão do funcionalismo público municipal de Caxambu denuncia situação da categoria na Tribuna Livre da Câmara

Na última segunda-feira, 24 de fevereiro, representantes da Comissão do funcionalismo público municipal de Caxambu usaram da tribuna livre da Câmara da cidade para denunciar a situação da categoria aos vereadores, aos presentes na sessão e aos ouvintes que acompanharam pela rádio a transmissão ao vivo.

O presidente do Sindiscaxa, o servidor público Julio Tadeu, começou sua fala denunciando a perseguição que vem sofrendo em relação à sua atuação como presidente do Sindcaxa, por parte do Executivo. Entre as ações do Prefeito, estão o corte no uso do cartão utilizado por funcionários sindicalizados;. Questionamento aos funcionários quanto ao manter-se filiado, atropelando a ação do Sindicato.

Também colocou a situação dos funcionários que perderão a insalubridade em março, no caso, os varredores de rua. Segundo o Executivo, eles varrem apenas folhas. Julinho observou o trabalho desses funcionários e pôde constatar ,que muito pelo contrário, há lixos de várias espécies e que podem ser maléficas para a saúde .

Pediu que a perícia que tirou o direito à insalubridade, explicasse à Câmara de vereadores, qual foi o critério utilizado e o porquê da destituição de um direito adquirido.Convocou todos os funcionários a comparecerem naAssembleia Geral do dia 7 de março de 2014, às 18 horas, na Câmara.

Esse desrespeito aos funcionários, a falta de diálogo, a perseguição, estão evidentes e poderão ter como resposta, por parte do funcionalismo, em paralisação ou greve.

Já a professora Carla Fernandes, da comissão dos professores da rede municipal e também integrante da comissão do funcionalismo, falou sobre o histórico da luta ,por parte da Comissão de Reivindicação dos Funcionários Públicos, com a união da Comissão dos Professores Municipais , Sindscaxa e Sind-UTE/MG subsede Caxambu, e explicou a metodologia de organização da Assembleia com os funcionários (em 27 de novembro de 2013).

Informou também sobre o envio da pauta de reivindicação para o executivo com a solicitação de reunião ,nos dias 13 de dezembro de 2013 e 08 de janeiro de 2014, e que não foram deferidas pelo executivo. Ressaltou que o mesmo utilizou a tribuna da Câmara para declarar que atende a todos, o que ,de fato, não ocorre. Além disso, colocou que o Executivo ainda não enviou para a Câmara a proposta de reajuste, de acordo com a data base da categoria, que é em janeiro.

e por último, enfocou o não cumprimento, por parte do executivo, dos direitos adquiridos pelos funcionários como: férias prêmio e biênios, mesmo que os professores já tenham feito a avaliação de desempenho prevista no Plano de Cargos e Salários (dos professores).

(Breve, fotos e áudio das falas dos companheiros na Tribuna Livre da Câmara)

FACULDADE VICTOR HUGO  NA  BAUDUCCO E NA JOHNSON&JOHNSON

A Faculdade Victor Hugo, estará no dia 28 de março (6ª f) com um grupo de alunos na BAUDUCCO e na JOHNSON & JOHNSON (Extrema)
 A Bauducco é a maior indústria  de produtos forneados do País e a maior produtora de panetones do mundo (fabrica 65 milhões anualmente).
Nesta indústria os alunos conhecerão o processo de produção de biscoitos, chocolates, torradas, bolos etc...e observarão a gestão da Qualidade que é uma disciplina integrante de todas as grades curriculares da Faculdade Victor Hugo.
Na Johnson&Johnson os discentes terão a possibilidade de conhecer a logística desta empresa que  trouxe para o Brasil o 1º absorvente descartável do mundo (Modess), começou na década de 70  fabricar   fraldas descartáveis que transformou a vida de bebês e suas mães, dentre tantas outras inovações.
Conforme afirma a Prof. Leila R,. Direzenchi (Diretora Pedagógica da FVH)," estas   viagens são uma oportunidade para que cada aluno aumente seu universo
cultural/ profissional, vivencie uma experiência única ao  conhecer grandes
Organizações e consiga vincular  a teoria apreendida em sala de aula com a prática
cotidiana
."

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

DESRESPEITO AO FUNCIONÁRIO PÚBLICO

A Prefeitura Municipal de Caxambu contratou a empresa "Perspectiva - Consultoria, segurança Ocupacional”, para emitir Laudos Técnicos sobre a insalubridade dos funcionários que recebem o valor, uma vez que os mesmos estão dentro do setor de risco.

Veja abaixo a COMUNICAÇÃO INTERNA nº 149/2014; note como o funcionário é tratado com a total falta de consideração e respeito, não dando nenhuma explicação dos fatos. Simplesmente retiram o direito e ainda falam que os servidores só mexem com folhas: 




Veja abaixo as fotos dos servidores recolhendo lixo de diversos locais da cidade:




Sindiscaxa

'Foi uma fatalidade', diz delegado sobre professor morto em tiroteio

A Polícia Civil de Pouso Alegre (MG) admitiu nesta terça-feira (25) a inocência do professor Silmar Madeira, de 31 anos, que foi morto após ser feito refém por assaltantes que explodiram caixas eletrônicos em Itamonte (MG). O Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) já havia revelado nesta segunda-feira (24) que a vítima tinha sido usada como escudo por um dos criminosos. O professor foi baleado durante um tiroteio entre policiais e assaltantes, em uma ação que deixou nove pessoas mortas.
"Uma série de circunstâncias nos levaram à inocência do professor. Ele não portava colete à prova de balas e nem armas. Nós refizemos a caminhada dele naquela noite e vimos que ele passou por diversos lugares. Além disso, ele não tem antecedentes criminais", informou o delegado responsável pelo caso, João Euzébio Cruz.
Na noite do tiroteio, Silmar tinha ido até a casa da namorada, em Itamonte. O tio dela, que não quis se identificar, conta que os dois saíram naquele sábado (22). "Ela foi a última a sair com ele naquela noite. Eles estavam em um restaurante e chegaram em casa entre 1h30, 2h30. Ele a deixou no portão de casa e foi embora", afirma. Na ação realizada em Itamonte, testemunhas disseram que o professor foi rendido por um dos bandidos em fuga, que tomou o carro do professor e o levou como refém.
Polícia investiga morte de professorSilmar Madeira em Itamonte (MG) (Foto: Reprodução / EPTV)Professor foi morto durante tiroteio em Itamonte
(MG) (Foto: Reprodução / EPTV)
"Ele foi inserido na cena do crime de uma forma involuntária e, infelizmente na hora do tiroteio, não foi possível fazer essa distinção. Creio que foi uma fatalidade e um tremendo azar, tanto da parte dele, quanto da nossa", complementou o delegado.
O delegado Ruy Ferraz, que é responsável pela Divisão de Crimes Contra o Patrimônio do Deic, disse acreditar que o tiro que matou o professor foi dado por um criminoso, porque o buraco do ferimento estava nas costas do professor. Entretanto, ele ressaltou que apenas a perícia vai definir quem foi o responsável pelo disparo. João Euzébio também aguarda a perícia, mas acredita que o tiro que matou o professor foi disparado da arma de um policial.
"Estão sendo feitos exames, mas tudo indica que o disparo tenha sido da arma de um policial, já que ele estava do outro lado do confronto. Do mesmo jeito que os tiros saiam do carro, os policiais revidavam", disse.
João Euzébio acredita que nenhum criminoso ainda esteja na cidade, mas um helicóptero tem feito buscas na região. Segundo o delegado, ainda há membros da quadrilha a serem presos. Em Cambuquira (MG), um suspeito de ter envolvimento com o crime foi preso após receber atendimento médico. Ele foi levado para o Presídio de São Lourenço (MG).
Delegado de Pouso Alegre João Euzébio Cruz (Foto: Reprodução EPTV)Delegado João Euzébio Cruz diz que morte de professor foi fatalidade (Foto: Reprodução EPTV)
"A quadrilha não é formada somente pela linha de frente que vem até o palco da ação. Nós temos outros elementos que trabalham no planejamento, estruturação e serviço de inteligencia. Até agora não há suspeitos do Sul de Minas e o homem preso em Cambuquira continua sendo investigado", afirmou.
Família aliviada
Após confirmada a inocência de Silmar Madeira, a família do professor, que mora em Itanhandu (MG), ficou aliviada. "Pelo menos meu filho não ficou como bandido. Meu filho trabalhava em dois serviços. Graças a Deus ele era trabalhador", disse a mãe da vítima, Adélia Madeira. "Isso muda tudo, porque agora as filhas dele vão crescer e ir para a escola sabendo que o pai não era um bandido", desabafou a irmã Silvia Madeira Marques da Silva.
Mãe de professor morto em tiroteio em Itamonte (Foto: Reprodução EPTV)Mãe se sentiu aliviada após confirmação da
inocência do filho (Foto: Reprodução EPTV)
O professor dava aulas de técnicas em segurança do trabalho e também coordenava o curso técnico no Educandário São Francisco de Assis, em Itamonte, há 8 anos. Durante o dia ele trabalhava em Passa Quatro (MG) em uma empresa também de segurança do trabalho. Ele morava com os pais em Itanhandu e deixou duas filhas, uma de 6 anos e outra de 6 meses, que eram de outro relacionamento.
Na turma de segurança do trabalho, em Itamonte, a noite desta segunda-feira foi de orações ao invés de aula. Alunos e professores estavam emocionados com a morte de Silmar. "Ele era muito focado no trabalho. Era a vida dele", conta o designer Áthila Domingo Costa.
A coordenadora da escola, Lúcia Lopes, também lamentou a perda do colega de trabalho. "Esse é o pior momento que estou passando na escola. Porque além de professor, ele era um amigo", diz.
O corpo do professor foi sepultado na tarde de domingo (23), em Itanhandu.
Identificação dos mortos
A perícia da Polícia Civil identificou os corpos dos suspeitos mortos durante operação em Itamonte, quando a polícia rendeu a quadrilha que explodiu um caixa eletrônico na cidade. Dos nove mortos na operação, três eram de Mogi das Cruzes (SP), quatro de São Paulo (SP), um de Campinas (SP), e o professor de Itanhandu, feito refém durante a fuga dos criminosos e que morreu baleado.
Até esta segunda-feira, cinco corpos continuavam no IML de São Lourenço (MG) sem identificação. Todos foram liberados para os familiares. Um décimo suspeito, morto durante troca de tiros com a polícia quando tentava fugir pela Via Dutra, em São José dos Campos (SP), era de São José do Rio Preto (SP).
De acordo com o Capitão da Polícia Militar, Marcelo Borges, a segurança foi reforçada em toda a região à procura de suspeitos que ainda possam estar escondidos no Sul de Minas. "Não acredito que haja alguém escondido no matagal próximo a Itamonte, mas existe ainda a possibilidade de criminosos estarem escondidos na região, e o policiamento foi reforçado. Pedimos apoio da PM de São Lourenço, Pouso Alegre (MG) e Belo Horizonte (MG)", disse.
Seis pessoas detidas durante a operação no sábado (22) continuam presas, uma no Presídio de São Lourenço, quatro na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG), e o sexto suspeito em São José dos Campos (SP).
Prisão em Cambuquira
Um suspeito de ter envolvimento com a quadrilha de assaltantes que trocou tiros com a polícia em Itamonte foi preso em Cambuquira (MG) no domingo.  Segundo a Polícia Civil, a Justiça determinou a prisão preventiva do homem de 26 anos para ampliar as investigações. A principal hipótese é de que ele estivesse em rota de fuga após a ação do último sábado, que terminou com a morte de nove pessoas.
De acordo com a Polícia Civil, o suspeito deu entrada no hospital de Cambuquira, por volta das 9h de domingo, desorientado, exausto e com um ferimento no braço direito. Ele alegou à equipe médica que havia se envolvido em uma capotagem, mas não soube passar nenhum outro detalhe. Os funcionários do hospital ficaram desconfiados e chamaram a polícia. Após alguns exames preliminares, a conclusão foi de que os ferimentos, provavelmente causados por arma de fogo, não condiziam com a história contada pelo paciente.
Após atendimento médico, o homem foi levado para a Delegacia de Três Corações (MG), onde prestou depoimento. Natural de Miracema (RJ), o suspeito disse que sofreu um acidente em Caxambu (MG) enquanto ia para o trabalho, mas após investigação, foi constatado que não houve nenhum acidente no local. O suspeito, que tem várias passagens pela polícia e um mandado de prisão em aberto, foi encaminhado para o Presídio de São Lourenço (MG).
Policiais na frente de Presídio de São Lourenço, MG (Foto: Tarciso Silva / EPTV)Suspeito preso em Cambuquira foi levado para o Presídio de São Lourenço, MG (Foto: Tarciso Silva / EPTV)
Para o delegado responsável pelo caso, João Euzébio Cruz, de Pouso Alegre (MG), há fortes indícios de que o suspeito faz parte da quadrilha de assaltantes. "Ele não consegue explicar as razões de estar em Cambuquira. É um elemento completamente estranho na região e, por isso, está sendo investigado", afirma.
Segundo a Polícia Militar, homens em uma caminhonete prata teriam ido a um hotel de Cambuquira perguntando sobre o suspeito. O dono do hotel informou ao grupo que o homem tinha ido para o hospital com envolvimento da polícia. O bando foi embora após a informação.
Tiroteio via Dutra - São José dos Campos 3 (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)Criminosos também se envolveram em tiroteio em
São José dos Campos 3 (Foto: Reprodução/
TV Vanguarda)
Prisão em São José dos Campos
Um suspeito foi morto e outro preso após fazerem um empresário de Itamonte refém durante uma tentativa de fuga no final da noite de domingo. Eles estariam escondidos na cidade após a ação policial na madrugada de sábado.
De acordo com os policiais, os criminosos renderam o empresário e o levaram de carro em direção a Caçapava (SP), quando foram perseguidos pela polícia. Já em São José dos Campos (SP) eles foram rendidos e durante uma troca de tiros, um dos suspeitos foi baleado e morreu. Um sargento da Polícia Militar também ficou ferido por dois disparos.
A vítima foi liberada e não ficou ferida. O outro suspeito foi detido. Durante a ação, os militares apreenderam um fuzil e um colete à prova de balas.
Tiroteio e mortes em Itamonte
Durante a madrugada de sábado, cerca de 200 policiais civis e militares renderam uma quadrilha que explodiu um banco e se preparava para explodir outros dois em Itamonte (MG). Ao todo, nove pessoas morreram e pelo menos cinco ficaram feridas, entre elas, cinco policiais civis.
Por volta das 2h, os criminosos explodiram caixas eletrônicos do Banco Bradesco e, durante a ação, foram cercados pelos policiais, que já tinham informações sobre a possibilidade do assalto. A quadrilha já era investigada havia pelo menos três meses.

Enquanto uma parte do grupo explodiu a outra agência, os outros integrantes ficaram em uma praça onde têm dois bancos, só que antes de detonar a dinamite, eles foram surpreendidos pela polícia. Os assaltantes estavam divididos em sete carros e, de acordo com a assessoria do governo do estado, eles pretendiam também dominar o pelotão da Polícia Militar de Itamonte e atacar ainda caixas eletrônicos em Itanhandu (MG). Durante a ação em Itamonte, foram apreendidos fuzis, espingardas calibre 12, pistolas, dinamites, munições e coletes à prova de bala. A informação da polícia é de que a quadrilha seja formada por pelo menos 20 pessoas. Quatro delas foram presas no local.
 Pelo menos nove criminosos foram mortos durante ação em Itamonte (MG) (Foto: HENRIQUE COSTA/CPN/ESTADÃO CONTEÚDO)Pelo menos nove criminosos foram mortos na ação
(Foto: Henrique Costa/CPN/ESTADÃO CONTEÚDO)
Um homem de 26 anos foi preso pela Polícia Civil de Mogi das Cruzes (SP) em um condomínio de luxo na cidade de Arujá (SP). Com ele, foram apreendidos uma moto, veículos e dinheiro manchado com tinta vermelha, proveniente do sistema de segurança dos caixas eletrônicos. Outro homem suspeito de integrar a quadrilha foi preso em Pindamonhangaba (SP).

Entre as pessoas mortas durante a operação em Itamonte, oito eram do Estado de São Paulo e um era de Itanhandu (MG). Três policiais civis foram atingidos por disparos feitos por fuzis. Eles foram socorridos em um helicóptero e levados para São Paulo (SP). Dois criminosos também ficaram feridos, foram internados e após receberem alta, foram levados para o Presídio de Pouso Alegre (MG). Já os corpos foram levados para os IML de São Lourenço (MG), Pouso Alegre (MG) e Itajubá(MG).
A Polícia Rodoviária Federal também apoiou a operação. Embora os policiais tenham cercado a cidade, alguns criminosos conseguiram fugir e, apesar das buscas feitas com helicópteros da Polícia Militar em matas próximas, não foram encontrados.
Fonte: CNN
Polícia procura mais seis suspeitos da batalha de Itamonte

Grupo era responsável por dar cobertura a bandidos que entraram na cidade para roubar agência



Itamonte (MG)Além dos 14 bandidos que trocaram tiros com a polícia em Itamonte, no Sul de Minas, no último sábado, pelo menos outros seis integrantes da quadrilha especializada em explodir bancos participaram da ação dando apoio logístico na região e teriam conseguido fugir. 
De acordo com o chefe das investigações em Minas, delegado João Euzébio, eles dariam cobertura aos criminosos que foram até Itamonte fazer o assalto. “Eles cuidavam do contato entre os bandidos, e ficavam de dar avisos no caso da chegada de reforço policial e indicar rotas de fugas”, explicou o delegado.
Apesar das buscas durante todo o dia de ontem, inclusive com uso de helicóptero, Euzébio praticamente descartou a possibilidade de ainda haver bandidos escondidos na região. “Até agora não tivemos nenhuma pista que leve à indicaçãode que ainda haja algum assaltante aqui. Vamos reforçar o policiamento na região, até para dar uma maior sensação de segurança para a população, que está muito assustada com tudo o que aconteceu aqui”, disse.
Para não atrapalhar o andamento das investigações, a polícia prefere não informar se os foragidos já foram identificados, mas segundo o delegado, praticamente toda a quadrilha é da cidade de Mogi das Cruzes, na grande São Paulo.
Segundo a polícia paulista, a quadrilha que atuou em Itamonte é responsável por pelo menos 12 explosões de caixas eletrônicos em São Paulo, em 2013. Já segundo o secretário de Estado de Defesa Social de Minas Gerais, Romulo Ferraz, o mesmo grupo pode ter atuado em nove municípios mineiros. “Não podemos dizer que estamos comemorando esse episódio traumático em Itamonte, porque a morte de qualquer pessoa é triste, mas foi um certo alívio”, disse.
Entre os casos suspeitos, estão dois em Itanhandu e um em Itamonte, em novembro do ano passado. “Vamos fazer perícias nas balas usadas nesse assaltos para então podermos imputar a essa quadrilha também esses crimes”, disse o delegado João Euzébio.

Inocente. A Polícia Civil de Minas descartou completamente a tese de que o técnico em segurança do trabalho, Silmar Júnior Moreira, 31, tivesse alguma ligação com a quadrilha. Ele foi morto junto com os bandidos no tiroteio do ultimo sábado em Itamonte. Inicialmente, a polícia tratou Silmar como suspeito, mas após levantamentos, ficou provado que ele foi sequestrado e obrigado a participar da ação. “Infelizmente, morreu um inocente, mas a polícia não teve culpa. No momento do tiroteio, ele estava junto com os bandidos e não foi possível saber que se tratava de um refém que estava no carro com homens que atiravam contra os policiais”, contou o delegado Euzébio.

A confirmação da inocência de Silmar traz a sensação de justiça para aqueles que conviviam com o técnico em segurança do trabalho. “Era uma pessoa honesta e que se dedicou a tirar a escola em que trabalha de uma crise. Merece homenagens pela forma como morreu”, afirmou o diretor do Educandário São Francisco, onde Silmar dava aulas, Hélcio Bustamante.
                                
                                     Silmar estava na hora e local errados. Uma vítima inocente que pagou com a vida


JUIZ DE FORA: TUTELA DO PATRIMÔNIO HISTÓRIO E CULTURAL



MPMG expede Recomendação para reduzir poluição visual no Centro de Juiz de Fora 

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) expediu Recomendação aos responsáveis por imóveis e empreendimentos comerciais localizados no Centro de Juiz de Fora para que, em 60 dias, retirem todas as publicidades e toldos instalados em desconformidade com as regras estabelecidas no Decreto Municipal n.º 8.637/2005.

A medida deverá ser tomada no perímetro definido no Decreto n.º 7.816/2003 como Núcleo Histórico Urbano (ruas Santo Antônio, entre Halfeld e Marechal Deodoro; Halfeld, entre Gilberto de Alencar e João Pessoa Resende; Marechal Deodoro, entre Gilberto Alencar e Francisco Bernardino; Batista de Oliveira, entre Halfeld e Marechal Deodoro; avenida Getúlio Vargas, entre as ruas Espírito Santo e Marechal Deodoro; rua Paulo de Frontim, entre a rua Halfeld e a praça Antônio Carlos; o parque Halfeld e as praças Doutor João Penido, Antônio Carlos e João Pessoa).

A Recomendação também foi encaminhada à Prefeitura de Juiz de Fora e à Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa) para que, decorrido o prazo para a retirada dos engenhos de publicidade irregulares, exerçam seu poder de polícia, impondo as sanções administrativas cabíveis contra os responsáveis e enviando cópia dos autos de infração à Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural, para providências cabíveis.

Em vistoria realizada por técnica da Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais foi constatado que, apesar de já decorrido o prazo previsto pelo Decreto Municipal n.º 8.637/2005 para a retirada dos engenhos que não atendem aos padrões estabelecidos, as regras continuam sendo ignoradas.

De acordo com os promotores de Justiça que assinam a Recomendação – José Célio Martins de Abreu, da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Cultural de Juiz de Fora e Marcos Paulo de Souza Miranda, coordenador da Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais – há um completo descumprimento das normas estabelecidas, o que resulta no recobrimento das fachadas dos edifícios por anúncios publicitários. Além disso, eles ressaltam que a colocação de anúncios cada vez maiores e em grande quantidade esconde a identidade dos espaços da cidade.

Ministério Público de Minas Gerais - Superintendência de Comunicação Integrada
Diretoria de Imprensa - Tel: (31) 3330-8016/3330-8166
Twitter: @MPMG_Oficial - Facebook: www.facebook.com/MPMG.oficial

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Prefeitura de Itamonte cancela carnaval na cidade

Devido aos últimos acontecimentos envolvendo uma quadrilha de marginais fortemente armada e forças policiais, que culminaram com a morte de 9 bandidos em um tiroteio jamais visto no Sul de Minas.

Veja o decreto a seguir:








segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Manifestação em prol do hospital de Caxambu

Sábado, 01/03/2014, às 16h, na rua do Hotel Bragança, vai ocorrer a manifestação em prol ao hospital. Há especulações que a despesa de 4 dias de carnaval daria para manter os camilianos durante 6 meses. 
Não podemos nos calar diante de tanta falta de respeito com a população caxambuense. 
O carnaval em Caxambu é uma festa para turistas jovens, um público que não traz tanto retorno para cidade, visto que trazem suas bebidas e, muitas vezes comidas, das cidades de origem. 
Pra que 4 dias de festa, se podemos ter 6 meses de hospital? 



Pintem seus rostos, venham com cartazes! Esperamos por TODOS os caxambuenses. 
Unidos somos mais fortes!!

Compartilhe


Policial rodoviário morre atropelado em frente a posto da PRF na Fernão Dias


Policial rodoviário César Malta da Gama Cruz, 45 anos, morreu atropelado durante o trabalho em frente ao posto da PRF no km 9 da Fernão Dias, em Vargem (SP) Foto: PRF / Divulgação
Policial rodoviário César Malta da Gama Cruz, 45 anos, morreu atropelado durante o trabalho em frente ao posto da PRF no km 9 da Fernão Dias, em Vargem (SP)
Foto: PRF / Divulgação

Um policial rodoviário morreu atropelado durante um bloqueio na rodovia Fernão Dias, no município de Vargem, no interior de São Paulo, na manhã de domingo. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), César Malta da Gama Cruz, 45 anos, estava em frente ao posto da corporação, no km 9 da rodovia, quando foi atingido por um Palio Weekend dirigido por uma jovem de 22 anos. 
"Ele foi alertar a condutora, que estava acima dos 40 km/h permitido no local, para pedir que reduzisse a velocidade e ela se atrapalhou com a presença dele, se assustou, perdeu o controle e atropelou ele no canteiro central. Ele foi jogado a 30 metros e sofreu múltiplas fraturas", contou o inspetor Maciel. 
O acidente ocorreu às 6h50, muito próximo do fim do expediente do policial Cruz, que saía às 8h. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital Universitário, mas não resistiu. A perícia deve apontar a velocidade do carro no momento do acidente. 
A motorista depôs na delegacia e foi liberada. De acordo com o inspetor Maciel, os testes apontaram que a jovem não estava alcoolizada. 
O policial estava na corporação desde 2006 e tinha dois filhos. Ele será enterrado na tarde desta segunda-feira em Caxambu (MG), de onde era natural. Em sua página no Facebook, a PRF lamentou o ocorrido.